Atualidade

2 de Outubro de 2014

Vacina do cancro do colo do útero aos 10 anos

A vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV) – que protege contra o cancro do colo do útero – começa, a partir de hoje, a ser administrada às raparigas a partir dos 10 anos e apenas em duas doses. As novas regras foram reveladas pela Direção-Geral da Saúde e seguem-se à conclusão de que uma imunização dupla é suficiente. Até agora, a vacina do HPV era dada aos 13 anos e em três vezes.

Esta mudança “não visa poupar dinheiro”, garantiu ao jornal “Público” o director-geral da Saúde, Francisco George, que adianta que foi o próprio laboratório que comercializa a vacina integrada no Plano Nacional de Vacinação (PNV), a Gardasil, a sugerir esta alteração depois de concluir que duas doses são suficientes para garantir uma imunização satisfatória.

A Comissão Técnica de Vacinação da DGS propôs que a imunização em duas doses fosse integrada no PNV num esquema com um intervalo de seis meses, e estipulou que a vacina devia ser administrada entre os 10 e os 13 anos. O objetivo é o de fazer coincidir esta vacina contra as do tétano e a difteria.

A introdução da vacina contra o HPV no Plano Nacional de Vacinação foi aprovada em março de 2008 e a vacinação iniciou-se em outubro desse ano. Até agora, foram vacinadas em cada ano perto de 50 mil raparigas, rondando a taxa de cobertura os 90 por cento em média.

Com 17 casos de cancro do colo do útero por cem mil habitantes e cerca de mil novos doentes são diagnosticados em cada ano, Portugal tem uma das mais elevadas incidências deste tipo de tumor na Europa Ocidental. Por ano morrem cerca de três centenas de mulheres com cancro de colo do útero.

Fonte | Pais&Filhos