Atualidade

3 de Junho de 2015

Um segundo pode durar para sempre!

Em Portugal, os acidentes continuam a ser a maior causa de morte e incapacidade temporária ou permanente em crianças, a partir do primeiro ano de vida e até aos 18 anos. E as mortes são apenas a “ponta do iceberg”!

No último fim de semana, duas crianças de 3 anos morreram afogadas em piscinas. Uma em Óbidos, outra em Lagos. Aparentemente foram as primeiras mortes por afogamento este ano mas, o Verão ainda nem começou.

O que mais incomoda é que estes afogamentos aconteceram como tantos outros e podiam ter sido evitados.
Se tem piscina em casa, no local onde vai passar férias ou nas redondezas garanta que está devidamente protegida com uma vedação. A medida mais eficaz na redução dos afogamentos com crianças pequenas é a existência de barreiras físicas que dificultem o acesso da criança e retardem o seu contacto com a água, dando mais tempo ao adulto para colmatar uma falha de vigilância.

A vedação não pode permitir a passagem de uma criança por cima, por baixo ou através dela, nem ser escalável.

Consciencialize-se e tome as devidas precauções!

 

Fonte: APSI – Associação para a Promoção da Segurança Infantil