Espaço Família | Como Cresceram

Coaching Parental

31 de Julho de 2015

Sexualidade na adolescência: uma das carruagens do comboio da vida de um adolescente…

 

adolescencia e sexualidade

Quando se é adolescente, é habitual ser-se invadido por uma vontade enorme de querer viver tudo ao mesmo tempo, é como se apenas existisse um comboio no mundo, e temos que entrar nesse comboio para não perdermos a viagem da juventude. Na adolescência, tal como em qualquer outra fase do desenvolvimento, os pais devem procurar ser os grandes pilares dos filhos para que eles possam sentir-se confortáveis e aceites para partilhar as suas vontades, as suas preocupações, os seus desejos e as suas expectativas. No entanto, e imaginado agora que vida do adolescente é um comboio, uma das carruagens diz respeito à sexualidade, e este assunto constitui muitas vezes um desafio quer para os adolescentes, quer para os pais.

Por um lado, os adolescentes querem viver a sua sexualidade, uns julgando que “eu sei tudo, não preciso partilhar com ninguém”. Outros conscientes das suas dúvidas, não recorrem aos pais quando se trata deste assunto por considerarem que “nunca iriam compreender” ou “iriam julgar e não iriam aceitar”, recorrendo habitualmente aos amigos para falar acerca da sexualidade, acabando por não ver esclarecido aquilo que é por vezes verdadeiramente importante, pois regra geral, os amigos apresentam as mesmas dúvidas. Por outro lado, os pais que se sentem pouco à vontade neste tema, não o encarando muitas das vezes como sendo uma etapa integrante do desenvolvimento do adolescente: uns pais porque têm simplesmente vergonha e “não é um assunto de família”, outros porque tem receio que ao falar-se de sexualidade isso possa despertar ainda mais curiosidade nos filhos, ou ainda porque consideram que podem não ser capazes de esclarecer abertamente as dúvidas dos filhos.

No entanto, esta ausência de comunicação não permite que pais e filhos conversem acerca das suas preocupações e expectativas, que são regra geral bem diferentes, e esta sensação de falta de apoio ou incompreensão por parte do adolescente origina muitas vezes um afastamento no núcleo familiar, refugiando-se no seu grupo de pares onde se sente que pode existir mais espaço para a comunicação.

É curioso que a investigação tem demonstrado que a educação e o aconselhamento sexual conduzem a um início mais tardio da vida sexual, a um menor número de parceiros e a um maior uso de contraceptivos, que são geralmente as grandes preocupações dos pais.

Sabemos então que falar sobre a sexualidade com os mais jovens é uma maneira de prevenir e proporcionar uma sexualidade mais saudável e consciente, até porque se os pais não souberem esclarecer algumas informações ou não se sentirem suficientemente à vontade para abordarem algumas questões, poderão recorrer a profissionais de saúde que poderão facilitar este processo, mas para que tal aconteça, é necessário primeiramente os pais estarem conscientes das necessidades dos seus filhos adolescentes.

Com diálogo, abertura e disponibilidade, os pais mais facilmente conseguirão mostrar aos seus filhos adolescentes que existe espaço e tempo para se descobrir e viver a sexualidade de forma consciente e equilibrada. Para além da sexualidade, há muitas outras carruagens a explorar. Mais facilmente poderão mostrar-lhes que na vida não existe só um comboio à nossa espera, mas sim muitos comboios, muitas viagens e muitos caminhos que poderemos percorrer, e que é possível viver momento a momento, usufruindo de uma cada experiência de forma única e especial.

Cecília Santos |Psicóloga Clínica

Equipa Mindkiddo – área infanto-juvenil |Oficina de Psicologia

logo oficina da psicologia horizontal