Espaço Família | Como Cresceram

Psicologia

2 de Julho de 2014

“Ser mãe e muitas outras coisas ao mesmo tempo” – ‘acalmar’ a ansiedade

Ser mãe e muitas outras coisas

Sabemos que ser mãe nem sempre é uma tarefa fácil. Que há dias em que tudo parece correr bem, mas que existem outros em que, de repente, surgem ‘mil’ tarefas para cumprir e tudo se transforma numa grande confusão.

Há dias em que a ansiedade surge e quase parece bloquear a capacidade de gerir as tarefas domésticas, os cuidados a ter com os pequenos, ou as relações familiares.

É natural que, nesta altura, fique diminuída a capacidade de apreciar os momentos bons e únicos dessa experiência. A ansiedade instala-se e, de forma quase automática, a solução parece passar por terminar tarefas sucessivas…, chegar ao final do dia e dormir.

Neste sentido, é importante lembrar a conhecida relação entre a ansiedade sentida pelas mães e o desenvolvimento salutar das crianças. De facto, a ansiedade das mães irá provocar alguns desajustes na dinâmica de relação e no desenvolvimento emocional da criança.

Mas, vale a pena não esquecer que esta ansiedade é normal. Mais difícil seria se nunca surgisse e se os acontecimentos passassem por nós sem nos provocar uma resposta emocional.

Então, e se ao invés de lutarmos contra ela, decidirmos aceitá-la e procurar estratégias eficazes para a atenuar?

Ficam algumas sugestões:

– Organizar tarefas. Pare para pensar em todas as tarefas que tem agendadas e perceba quais serão as mais prioritárias. Talvez não precisem de ser todas cumpridas no mesmo dia e possa guardar algum tempo para relaxar.

– Delegar tarefas. É importante pedir ajuda. Percebendo quais são as tarefas que não precisam necessariamente de ser feitas por si, poderá negociar a participação de todos os elementos da família.

– Tempo para si. Ser mãe, não deve significar deixar de ser mulher. Se, por entre todas as exigências, se permitir reservar um tempo para cuidar de si, é provável que verifique que a sua disponibilidade para estar com aqueles que a rodeiam é maior.

– Respeite-se e respeite os outros. Certamente, existirão dias ‘menos bons’ em que sente que nenhuma estratégia parece resultar. Permita-se sentir isso. Permita também que os pequenos lá de casa possam ter esses mesmos dias. Uma atitude compreensiva, consigo mesma e com os outros, promoverá um ambiente mais tolerante e menos gerador de ansiedade.

Inês Carvalho

Psicóloga Clínica

Equipa Mindkiddo – área infanto-juvenil da Oficina de Psicologia

logo3