Como Cresceram

22 de Julho de 2014

“Sempre Ligados” – A dependência à Internet.

Esta questão já passou pela cabeça de alguns pais: Com a chegada dos dispositivos móveis a Internet deixou de estar apenas no computador e está agora nos tablets, telemóveis, relógios, televisão e, aos poucos e poucos, vai estando presente em todos os aparelhos eletrónicos e, consequentemente, na vida do seu filho.

Embora as opiniões dos pais se dividam no que toca a aplicar limites de utilização da Internet aos mais novos, não é discutível o impacto negativo que a dependência face à Internet ou à tecnologia pode provocar num jovem. As consequências podem resultar, por exemplo, em dificuldades em adormecer (que dão origem a falta de concentração e consequentemente, baixo aproveitamento escolar) que podem escalar para dificuldades de socialização e até depressão.

É por isso importante estar atento aos sintomas deste problema e saber como o combater eficazmente!

Como identificar sintomas desta adição?

Acima de tudo, é importante estar presente na vida do seu filho e não confundir estes sintomas com comportamentos originados por outras situações: O seu filho pode estar demasiadas horas em frente ao computador, sem estar dependente (Exemplos: Estar a realizar um trabalho para a escola, ou estar a “refugiar-se” no mundo virtual como resposta a um problema pessoal, familiar e/ou escolar).

Se já excluiu estas hipóteses verifique se o seu filho apresenta alguns destes sintomas:

– Ouvir sons de aviso de chats de conversação, mesmo quando se encontrar longe de dispositivos de comunicação;

– Ficar nervoso por ir para um lugar sem cobertura de Wi-Fi/rede móvel e sentir alívio quando volta a ter sinal de Wi-Fi/rede móvel;

– Perder muito tempo a olhar compulsivamente para o seu computador ou telemóvel para verificar se foi contactado por alguém;

– Ficar impaciente se está muitas horas sem consultar o seu telemóvel, tablet ou computador;

Como superar o problema?

Para atuar, é importante mostrar ao seu filho que este pode contar com o seu apoio incondicional.

Sugerimos que prossiga com estes passos:

– Sugira e ajude o seu filho a elaborar uma lista de atividades que deixou de realizar face ao tempo gasto na Internet. Relembre-o que deverá incluir as pessoas com quem deixou de estar, tal comos hobbies, interesses, desportos e outras atividades que possam ter sido afetadas. É importante que não assuma uma posição de crítica/julgamento com o seu filho, mas sim de suporte. Deixe que seja ele a tomar uma atitude face ao problema e a querer resolver o problema.

– Se achar que a utilização da Internet por parte do seu filho está a tornar-se um comportamento compulsivo, isto é, a visita aos websites e redes sociais, não tem qualquer propósito e é apenas um comportamento automático do seu filho, crie um acordo com o seu filho e utilize uma ferramenta de controlo parental para limitar o número de horas que este poderá utilizar a Internet. Pode ainda sugerir ao seu filho que utilize ferramentas como a “KeepMeOut” (http://keepmeout.com/en/) para o avisar quando está a exceder o limite de tempo para visitar um website. Relembre-se que 60 a 90 minutos por dia deverá ser mais do que suficiente para se atualizar e que deverá ir reduzindo cada vez mais o tempo que passa online;

– Desative as notificações do tablet e telemóvel do seu filho, de modo a este não ter a resposta impulsiva de utilizar uma determinada aplicação ou website.

– Caso o seu filho se sinta tentado a verificar constantemente as redes sociais, e-mail e outros serviços online, fale na possibilidade de remoção da aplicação temporariamente.

Relembre-se que para solucionar este problema será preciso diálogo. Diálogo, diálogo e mais diálogo. Durante este processo, compense o seu filho acompanhando-o em atividades que ele aprecia (passear, ir à praia, praticar desporto, entre outros) e aproveite para perceber motivos que possam ter estado na origem desta dependência.

Caso necessite de mais esclarecimentos ou ajuda nesta matéria, contacte a nossa Linha Ajuda através do 808 91 90 90 ou através do e-mail linhaajuda@internetsegura.pt.

Navegue em Segurança!

Segurança Online

logo_internet_segura