Atualidade

9 de Agosto de 2013

Sado tem um novo golfinho bebé

golfinho-6208Chama-se ‘Sapal’ e tem dois dias de vida a mais recente cria da comunidade de golfinhos do estuário do Sado.

 

 

A população residente de golfinhos do Sado ganhou há dois dias uma nova cria, aumentando para 28 o número de roazes residentes naquele estuário.  No passeio de barco realizado pela equipa da Vertigem Azul – que se dedica à observação dos golfinhos do Sado desde 1998 – tripulação e turistas foram surpreendidos pela mais recente cria.

Ao todo há apenas três comunidades residentes de golfinhos em toda a Europa. Por isso, a chegada de um novo roaz às águas que banham Setúbal “é motivo de alegria e de entusiasmo, mas, sobretudo, de grande importância para a vida destes animais”, explica Maria João Fonseca, uma das mentoras da Vertigem Azul.

“Esta comunidade é estudada desde 1981 e nessa altura contaram-se mais de 40 animais no grupo. Depois começou a registar-se um declínio no número de golfinhos, que coincidiu com o resultado de décadas mais desfavoráveis ambientalmente para o rio, com o surgimento das fábricas, da atividade da indústria pesada e do porto de Setúbal, da utilização de pesticidas e por aí fora”, adianta.

Em 2004 o estuário contava apenas com 23 golfinhos, mas “o sucesso reprodutor no grupo” ganhou fôlego e esta rara comunidade acabou por voltar a crescer. Desde 2005, odos os anos tem-se registado, pelo menos, um novo nascimento no Sado e em 2012 houve, inclusive, um “juvenil costeiro” que se juntou ao grupo. “O que pode significar, no futuro, uma maior diversidade genética no grupo”, conclui Maria João Fonseca.

‘Sapal’ foi o nome dado ao novo golfinho, que, segundo as mais recentes observações da Vertigem Azul deverá ter como progenitora a roaz ‘Ligeiro’. O nome foi selecionado na sequência de um desafio lançado à população de Setúbal no ano passado, que levou à votação nomes possíveis para novas crias que surgissem no Sado. Todi, Acalá e Sapal foram os nomes escolhidos.

Relembre aqui o vídeo sobre o nascimento do golfinho ‘Vitória’, em 2010.

 

Fonte: Expresso