Atualidade

11 de Dezembro de 2013

Mais de 200 milhões de crianças com menos de cinco anos não existem

Cerca de 230 milhões de crianças com idade inferior a cinco anos não foram registadas, avança a revista Time. Estes números significam que, oficialmente, uma em cada três crianças não existem, criando-lhes dificuldades ao longo da vida. Os dados foram revelados pela Unicef.

11.12.2013

A Unicef divulgou que 230 milhões de menores de cinco anos não foram registados à nascença.

 

“Todas as crianças nascem com um enorme potencial. Mas se as sociedades falham na sua contagem e nem reconhecem que elas lá estão, elas tornam-se mais vulneráveis à negligência e ao abuso. Inevitavelmente, o seu potencial é severamente diminuído”, afirmou a directora executiva adjunta da UNICEF, Geeta Rao Gupta.

De acordo com um relatório divulgado por aquela organização, apenas 60% dos recém-nascidos em 2012 foram registados.

O mesmo documento indica que crianças de certos grupos étnicos ou religiosos e em áreas pobres ou remotas têm mais probabilidades de serem registados, devido aos custos altos, desconhecimento do processo e medo de mais discriminação. Países pobres do Sul da Ásia e da África Subsaariana são os mais afectados.

Por exemplo, no Iémen, quatro em cinco crianças não existem oficialmente, enquanto no Paquistão apenas se contam três em quatro. Na Somália, 97% dos bebés que nasceram no ano passado não foram registados.

 

Fonte: Notícias ao minuto