Mães e pais na 1ª pessoa

22 de Abril de 2013

Quando menos é igual a muito mais!

Andamos em obras cá em casa.
E ao mudarmos a nossa filha de quarto, percebi a quantidade de roupa que ela tem! Mais, muito mais que eu! :)

A cada dia que passa, sou cada vez mais alérgica a ter muitas coisas em casa. E isso é motivo de felicidade! Quanto menos houver para desarrumar, menos há para arrumar. Quanto menos houver, mais tempo há para os outros, para as nossas actividades. Quanto menos houver, melhor passa a energia (feng shui).

Queres um exemplo? Antes da minha filha nascer, o meu armário era nada mais nada menos que um closet inteiro! Depois, passou a ser o armário de um dos quartos. O armário todo! E este ano, como resultado da redução de coisas que tenho feito, é meio armário e com direito a ter aí guardada a caixa da roupa Primavera/Verão. Isto é só brutal!

E olho para a roupa que tenho e gosto de toda!

Sim, sinto-me algumas vezes tentada a comprar coisas que não preciso ou por impulso. Mas a verdade é que agora são mais as vezes em que passo em frente às lojas e nada me interessa. Não preciso de maquilhagem nova, de collants de novas cores ou de mais um par de leggins ou botas. E aquelas compras melhores, deixo-as para os saldos.

Se ando mais feliz com menos? Muito, mas muito mais!

Outra coisa que também mudou foi a forma como faço compras no supermercado. Vou sempre ao Continente e ao Bonjour por causa do cartão. Gosto do sistema de pontos, das promoções. Sempre pensei que fosse uma cena complicada mas não, não é! E adapto os menus às promoções. Há uns 10 anos atrás era completamente desconectada desta forma de gerir a casa. Neste momento, gosto que seja assim e gostava de ter chegado a esta conclusão há mais tempo. Antigamente cozinhava e fazia a mais para congelar. Neste momento decidi não ter mais pratos confeccionados no congelador. Já não funciona – passei a deitar fora e isso é pecado! Sobretudo nos dias de hoje.

Passei também a gerir melhor os legumes e a fruta que compro. Sempre em quantidades minis – nem que tenha de voltar ao mercado ou ao supermercado com fruta ‘caseira’ aqui ao pé de casa dia sim dia não (os frescos prefiro trazê-los ou do mercado ou do supermercado aqui ao lado).

Perceber o que me faz feliz é tão importante. São detalhes pequenos mas a felicidade da vida reside mesmo nestes pequenos detalhes. 

Se me apetece incutir isto na minha filha? Claro que sim!! É difícil porque ela ainda age por impulso mas lá vai percebendo. E quando falámos das prendas de Natal, ela só pediu uma… Recorta as revistas todas cheias de brinquedos mas, quando é para pedir, pede aquilo que mais quer! E isto é, para mim, maravilhoso!

Menos coisas em casa é mais liberdade. E é curioso que com a chegada do Natal, fico um pouco angustiada com a quantidade de ‘coisas’ que vou receber. Porque não preciso de roupa, nem de coisas para a casa nem de coisas para mim. Espero que apostem em coisas de comer… é que sinceramente, damos cabo daquilo e não se pensa mais nisso.. Pelo menos é no que eu vou apostar! E quando Fevereiro chegar, pensarei em regimes… 😀

P.S. A minha estratégia é pensar : se fosse de férias, levava isto comigo? Se a resposta for não, é porque talvez não precise!

 http://mumstheboss.blogspot.pt/

Facebook