O Barrigas aconselha...

Educação Financeira das Crianças e Adolescentes

Capa_Educação-Financeira-da

MANUAL “EDUCAÇÂO FINANCEIRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES”

Alguns pais optam por excluir as temáticas de cariz financeiro da educação dos seus filhos, sustentando a sua decisão na ideia de que são elementos distantes do universo das crianças. Tal pressuposto desconsidera o papel activo e interveniente da criança na complexa rede de ligações que vai estabelecendo com tudo aquilo que a rodeia. As crianças não são meros agentes passivos em termos de intersecção económica; na prática, os mais novos constroem, de forma regular, explicações para os elementos que as rodeiam, nomeadamente percepcionando os aspectos económicos do meio envolvente. As crianças aprendem na relação com os adultos, na escola e através da comunicação social.

Uma atitude parental sustentada e calibrada exige, nos nossos dias, estratégias de comunicação mais eficazes e que permitam preparar as crianças para os novos desafios. A forma como a família se relaciona com os aspectos financeiros indubitavelmente irá condicionar a formação dos futuros adultos. É por isso premente que a família adapte comportamentos e aprenda a comunicar os principais conceitos em função das diferentes idades e mediante a maturidade demonstrada por cada criança (uma vez que algumas temáticas apenas são perceptíveis em idades mais avançadas)

Partindo dos pressupostos do epistemólogo suíço Piaget, as crianças constroem representações mentais desde muito cedo. A promoção dos valores e a construção de conhecimentos financeiros junto das crianças terão reflexos a prazo, nomeadamente irão permitir uma melhor adaptação de comportamentos e um reforço da compreensão de múltiplos elementos: normas, papéis sociais, crenças, valores, decisões de consumo e poupança, etc.

Na organização deste manual foram contempladas secções específicas, mais concretamente, numa fase inicial, é descrita a forma como as crianças aprendem mediante o seu nível de maturidade e em função da idade. Complementarmente, é descrito o processo de educação financeira em função das diferentes fases de desenvolvimento.

Dado que o processo de educação financeira das crianças abarca componentes que vão para além dos conceitos económicos, foram concebidas secções complementares, nomeadamente os fundamentos de uma formação educativa sustentada em valores, a promoção do trabalho, dos estágios e do voluntariado, procurando sempre sustentar a visão teórica com evidências práticas.

Mediante a sucessiva redução da poupança realizada por parte das famílias nacionais, ao longo das últimas décadas, é salutar dedicar uma atenção especial à promoção e valorização desta temática junto das crianças. É primordial que a poupança volte a ser considerada uma prioridade.

Como temática complementar à educação financeira das crianças, será dada uma atenção especial à preparação dos mais novos para que sejam consumidores responsáveis e informados. Neste aspecto específico, a evolução desejada não se deve limitar às crianças: os próprios pais devem reforçar os seus conhecimentos na análise das suas opções de consumo, nomeadamente saber priorizar as mesmas e, antes de consumirem, procurar salvaguardar alguns aspectos primordiais.

Na educação das crianças, existem diversos intervenientes, com responsabilidades distintas, mas operando em complementaridade, por vezes com ténues elos de ligação entre si, mas sempre com um objectivo concreto e comum: educar e preparar as crianças para os desafios da vida. Nesse sentido, é importante abordar a educação financeira das crianças segundo três ângulos: o mais amplo de todos, que cabe aos pais, a óptica dos avós e a perspetiva dos intervenientes no espaço escolar.

Na secção final, são apresentadas temáticas específicas, que, como tal, devem ser analisadas de uma forma mais detalhada. A premência de cada temática justifica-se mediante o facto de ser transversal a diversas famílias ou de constituírem aspectos essenciais para que os pressupostos deste livro sejam concretizados.

Temáticas:

  1. A educação financeira dos filhos no âmbito de um processo de separação ou divórcio;
  2. Semanada e mesada;
  3. Herança;
  4. Negócio familiar;
  5. Empreendedorismo;
  6. Uma sociedade civil mais activa.

Este manual visa ser um espaço de reflexão que ofereça ao leitor um conjunto de ideias essenciais para que a educação financeira das crianças seja encarada como uma janela de oportunidades para um futuro empreendedor do saber fazer, conhecer, estar e ser.

Outros Produtos