Espaço Família | Como Cresceram

Saúde

19 de Dezembro de 2014

Primeiro molar definitivo aos 6 anos

Os dentes permanentes começam a nascer por volta dos 6 anos. Com a erupção dos primeiros molares permanentes, dá-se o início da dentição mista. Esta fase perdura atá à esfoliação de todos os dentes decíduos, o que só acontece por volta dos treze anos. A partir deste momento, a criança deixa de ter uma dentição mista para passar a permanente. Os primeiros molares são os primeiros dentes permanentes a nascer e, por esta razão, muitas vezes são chamados os “dentes dos 6 anos”. Estes dentes são característicos, uma vez que não têm precedente de leite/decíduo, isto é, não surgem em substituição de nenhum decíduo. A sua posição é posterior ao último molar decíduo.
Trata-se de um dente fundamental para todo o crescimento e desenvolvimento da cavidade oral e das estruturas anexas. É considerado um dos elementos principais para o desenvolvimento de uma oclusão correta e funcional (forma como os dentes se posicionam quando a boca está fechada).

1
Imagem retirada de: http://clinicaciso.no.comunidades.net/index.php?pagina=1409408190_04

Apesar da sua importância, este é por norma um dos primeiros dentes a desenvolver cárie dentária, uma vez que a maioria dos pais não se apercebe do seu nascimento, exceto quando as crianças apresentam queixas. Quando a cárie já é demasiado extensa e o dente tem de ser extraído, são provocadas diversas alterações nas arcadas dentárias, designadamente:
Inclinação dos dentes adjacentes, dificultando a higiene oral dos mesmos;
Diminuição da função mastigatória, pela ausência de um molar;
Distúrbios na articulação-têmporo mandibular.

2

Imagem retirada de: http://ouvindosorrindofalando.blogspot.pt/

Para evitar o aparecimento de algum destes problemas, é fundamental que os cuidados preventivos se iniciem desde muito cedo, para que o dente não fique cariado quando é mais vulnerável, uma vez que está recém erupcionado e o processo de mineralização ainda não está completamente finalizado.

É importante que os pais vigiem os dentes dos seus filhos regularmente e dediquem especial atenção aos alimentos ingeridos, uma vez que existe uma relação causa-efeito entre a alimentação açucarada e a aparecimento de cáries.
Nesta altura da vida da criança, é muito importante que os pais acompanhem a escovagem dos dentes, uma vez que a escova tem de chegar mais longe do que aquilo a que as crianças estão habituadas.

Convém que a cavidade oral das crianças seja observada de forma regular pelos pais e, também, pelo Médico Dentista ou Higienista Oral, para que este consiga avaliar e eventualmente modificar as técnicas de escovagem utilizadas pelos pais e/ou verificar a necessidade de tratamento.

Crónica escrita por: Dra. Carolina Pizarro (Higienista Oral)

logo