Mães e Pais na 1ª Pessoa

Rita Mendes 

Barriga Mendinha

Porque tenho afinal a barriga inchada?

Então é assim:

Tenho uma hérnia umbical e já sei há umas semanas. Estou a flipar um pouco mas a verdade é que acho que é muito comum e relativamente facil de tratar, por isso (e até porque a minha não dói), acho que não há razão para alarmes.

Falei com o médico e  pelos vistos, é algo que veio “crescendo” desde a gravidez da Matilde Estrela, chama-se Diástase ao rompimento muscular que me aconteceu( já vão mais de dois anos). A parede dos músculos do abdómen dividiram-se ao meio, na vertical, partindo do umbigo e depois não se voltaram a unir como deve ser. Muitas das vezes, fica por aí  e aconselha-se o exercício físico, outras… o maroto do organismo decide desorganizar-se e os intestinos “espreitar” por esta “porta” que ficou aberta. Foi o meu caso.

Como já se arrasta desde aí e sem grandes stresses até ao momento, também não é com “aquela” urgência que tenho que intervir ou preocupar-me por aí além. Tenho, por isso, a possibilidade de poder esperar até ao “fim das festividades de Verão” (assim defini eu ao médico o período de tempo até finais de Setembro, não por causa das férias, não senhor, que isso por cá “vai-se fazendo” não “se tem”.. mas por causa da época forte do meu trabalho como dj e das viagens que tenho que fazer, devido ao mesmo.). Aí sim, lá para o final do Verão, inicio do Outono, faremos uma operação para tratar desta feiosa que me pode mesmo vir a trazer chatices.

As hérnias podem aparecer devido a varios fatores, mas muitas vezes a principal foi um esforço feito em que a gravidez e o próprio parto costumam ser um dos fatores que leva a que a dita se desenvolva. Por isso mesmo, e para não me sentir tão sozinha nisto, decidi explicar-vos o que é e sim… já agora… alertar-vos para tal, pois até pode ser, que tal como eu ela exista e vocês nem se tenham apercebido.

Há casos bem mais extremos e procurando na net… meu Deus, uma pessoa até se assusta, mas aqui, deixo-vos a imagem de uma paciente, como uma hernia umbilical “normal” , de forma a que vejam como o corpo/barriga mudou com a sua remoção. É incrivel, como eu nem fazia ideia que isto pudesse acontecer… teve mesmo que me bater à porta…

E sim… no meu caso, foi mesmo numa consulta por questões estéticas, imaginem. A tentar perceber porque raio, depois de um esforço grande da minha parte, com alimentação saudável, exercício e outros cuidados de beleza… o meu peso estava estável, mas.. a minha barriga não desinchava. Aliás, aqui entre nós, a sensação que tinha (e tenho ainda, então agora que sei até parece que mais ) é que cada vez a minha barriga estava mais disforme e saliente… e eu muito chateada e desmotivada por isso.

Não foi preciso mais de um minuto, para o Dr. Emílio Valls me dizer, no seu português meio espanholado : “Claro que estás inchada.. tienes una hérnia muito grande por baixo do teu umbigo… e os teus instestinos estão todos fora do sítio o que faz com que os outros orgãos tambien tenham encontrado lugar para se acomodar dentro da tua barriga…” Ahhhh!!! OMG!! Eu, meia parvinha, que não sabia bem o que era isso, quis então saber tudo. Tudo, o que partilho agora com vocês. vejam porque é que me sinto inchada… está aparentemente tudo desorganizado cá dentro.

Basicamente foi isto que me aconteceu. Os músculos abdominais que na gravidez, se afastam para dar lugar ao crescimento lindo do barrigão de grávida… não voltaram ao sítio.. e eu não senti nada durante uns tempos, fiz até muito exercício e abdominais e tal e tal que neste caso são até contraprodutivos, tendo em conta que os músculos não estão no lugar certo e fazer esforços aí pode até piorar e “atirar” a hérnia ainda mais para fora.

E o que é efetivamente?

Uma hérnia umbilical surge quando parte do intestino se projeta através de uma abertura nos músculos abdominais. felizmente geralmente inofensiva mas que pode ser muito complicada, principalmente se rebentar, devido algum esforço maior.  Raramente acontece mas há que tomar precauções.

As hérnias umbilicais são muito comuns em crianças mas também podem afetar adultos. Numa criança, a hérnia umbilical pode ser particularmente evidente quando a criança chora, provocando a projecção do umbigo e normalmente até aos 3 anos de idade desaparecem. Quando não.. também terá que haver cirurgia.

Nos adultos, a cirurgia é normalmente recomendada para evitar complicações – especialmente se a hérnia umbilical ficar maior ou se tornar dolorosa. Durante a cirurgia, é feita uma pequena incisão na base do umbigo. O tecido herniado é reposto na cavidade abdominal e a abertura na parede abdominal é suturada. Nos adultos, os cirurgiões usam frequentemente uma malha para ajudar a fortalecer a parede abdominal.

E pronto… blagghhhh… é isto. Agora… no meu caso, é não pensar muito na coisa ( mas claro que penso nem imaginam..), não esforçar muito  nem fazer demasiada pressão abdominal ( nem aquele encolher que todas fazemos para ficar melhor no bikini é bom… ai Deus meu, como vai ser este Verão). E depois… lá vos chegarão, para o fim do Verão novidades,quando fizer a tal intervenção cirurgica. Vai correr tudo bem, mas este é o exemplo… de que as “coisas” também nos chegam a nós, não só aos outros. E de que não fazer um bicho de sete cabeças é o melhor que há a fazer. Ainda ha um Verão pela frente para viver. Com  a tentativa de ter mais cuidados que o normal, é certo mas … sem dramas.

E aí desse lado? alguém já passou por isto? Contem lá as vossas histórias para me deixarem mais descansada com a “coisa”…

Blog | Barriga Mendinha