Espaço Família | Como Cresceram

Psicologia

5 de Junho de 2014

Os “miúdos” estão de férias – adolescentes, férias e rotinas

férias adolescentes

O final das aulas aproxima-se, crianças e adolescentes vão ficando de férias. O que não significa que os pais fiquem de férias também.

Surge uma preocupação crescente sobre o planeamento dos próximos meses. Se as crianças são pequenas, é preciso procurar atividades e programas de ocupação de tempos livres. Noutros casos, investigam-se as hipóteses de ajuda por parte de avós e tios. Se falamos de adolescentes, aumenta (e aumenta um pouco mais) a sensação de incerteza sobre “o que farão eles a tanto tempo livre…?”.

E, então, surgem as dúvidas.
“Devo estabelecer horários e rotinas rígidas?”
“Devo deixá-los descansar e decidir o que farão com o seu tempo?”

Pensamos sobre isso, agora.
Pode ser que a primeira hipótese não seja ‘justa’. Estabelecendo horários e rotinas rígidas talvez se consiga uma sensação de maior tranquilidade, ou maior controlo. Mas será que o período de férias não pode servir para quebrar algumas rotinas?
A segunda hipótese responde a esta pergunta. Talvez as férias possam ser aproveitadas para fazer atividades e tarefas diferentes. Mas que tarefas são essas?!

A adolescência é um período de autonomização e socialização, de passagem da infância para a fase adulta. É um período caracterizado por mudanças sucessivas, tanto a nível físico como da formação da personalidade. Período de autonomização e socialização, começou por dizer-se. Então, é hora de novas experiências e novos desafios. Mas falamos de experiências e desafios graduais, nas quais o adulto pode (e deve) ter uma palavra a dizer, um conselho a dar.

Posto isto, uma hipótese para o planeamento dos próximos meses talvez possa passar pela negociação entre pais e filhos.
Juntos, conversem sobre o tema. Cada um de vós poderá fazer uma lista das tarefas/atividades que considerem importante cumprir neste período de férias. Lembrem-se que é importante que ambos possam fazer as cedências necessárias para que o plano resulte.

E, se falamos no período de férias, é natural que vão ocorrendo algumas alterações ao que foi definido. Nessa altura, o importante será saber comunicar.

Inês Carvalho
Psicóloga Clínica
Equipa Mindkiddo – equipa infanto-juvenil da Oficina de Psicologia

logo3