Fertilidade

9 de Maio de 2014

Os espermatozóides não gostam de festa!

É sabido que o consumo de álcool e de drogas afecta a qualidade seminal. De facto há muitos estudos que apontam que o consumo prolongado destas substâncias é prejudicial para a fertilidade masculina. No entanto, recentemente, um grupo da Universidade de Aveiro aponta que o consumo excessivo de álcool contribui para um decréscimo em 65% da concentração de espermatozóides e para um aumento de 53% dos danos no DNA e morte das células reprodutoras masculinas.

Este estudo, coordenado pela investigadora Margarida Fardilha foi realizado em amostras de sémen de 100 participantes para ver qual o efeito da ingestão de álcool após a participação dos jovens nas celebrações das semanas académicas de Aveiro e Coimbra. As amostras de sémen foram recolhidas antes, durante e depois do período festivo, tendo sido possível verificar “pela primeira vez, que a ingestão aguda de álcool durante um curto período diminui consideravelmente a capacidade reprodutora no homem”.

Como o ciclo de vida dos espermatozóides no homem dura aproximadamente 3 meses, ao final deste tempo foi solicitada nova amostra de sémen aos participantes tendo sido observado que os parâmetros seminais recuperaram os valores normais. A questão que agora se coloca é saber quais os efeitos do consumo de álcool a longo prazo nas células reprodutoras.

É muito importante sensibilizar a população mais jovem que os seus hábitos de consumo de álcool e droga podem comprometer a sua fertilidade. Se querem beber devem faze-lo com muita moderação!

No caso dos casais que estejam em tratamento, sugiro que os companheiros tenham especial cuidado com a saúde e evitem o consumo de álcool e drogas pelo menos durante 3 meses antes do tratamento de fertilidade.

Dra. Sofia Nunes

Embriologista
Especialista em Fertilidade

O Meu Laboratório de Sonhos