Espaço Família |

Cuidados a ter no Pré-Parto

20 de Maio de 2013

O pai no 2º trimestre…

Estamos de 14 semanas!
O J. tem consultado livros sobre a gravidez e já tem comprado algumas peças de roupa para o bebé! Parece que finalmente para ele a gravidez tornou-se real. Acho que foi após a primeira ecografia que começou a ter uma maior necessidade em planear o futuro: começou a ter mais preocupações com o orçamento familiar, ponderou em procurar um segundo emprego, uma casa maior, e um carro mais espaçoso. Começou até a procurar colégios para se fazer já agora a inscrição! Quer ter a certeza que o bebé irá ter uma boa educação! A drª Carla alertou-me que é nesta fase que alguns homens começam a ficar com alguns ciúmes da companheira, já que toda a atenção, até a da mãe dele, é para a grávida, outros começam a alterar o seu comportamento em relação à gravidez.

Os sinais de que a relação com o bebé já começou poderão ser evidentes para alguns futuros papás: alguns procuram mais contato físico com a companheira, mexem na barriga, ouvem os batimentos do coração do filho ou falam com ele, outros aventuram-se nas compras. No entanto, para alguns homens, a relação com o filho só vai começar no momento do nascimento, para outros, esta relação começa ainda mais tarde.
Alguns homens podem, também, ficar psicologicamente “grávidos”, sentindo muitos dos sintomas físicos próprios da gravidez. Isso acontece quando se envolvem muito emocionalmente, tanto durante a gravidez como durante o parto. Nestes casos os homens aumentam de peso, referem enjoos matinais, e no limite poderão mesmo sentir a dor das contrações durante o trabalho de parto.
Apesar de todo este envolvimento com a gravidez, para todos, a paternidade parece trazer à lembrança todas as memórias e emoções da infância, o que pode constituir uma oportunidade de pensar sobre o seu futuro papel, o papel que o seu próprio pai teve no seu desenvolvimento, sobre a sua infância e sobre o papel de pai que vai querer assumir, e na verdade, o João tem-se aproximado mais do seu pai e tem falado muito na sua infância. Acho que está a pensar nas suas novas responsabilidades…
Apesar de tudo isto, e sabendo que o João está “emocionalmente” envolvido na nossa gravidez, começo a ter algum receio que a nossa relação mude! Estou mais redondinha, com formas menos atraentes, e isto poderá ser um motivo para que me torne menos atraente para si! Talvez seja por isso que todos os amigos dele lhe dizem que tem que me mimar muito! Dar alguma uma atenção extra à companheira poderá ser um factor muito importante na nossa cultura, em que os outros familiares raramente estão suficientemente próximos para dar algum apoio adicional.
Entender as alterações psicológicas mais comuns durante a gravidez poderá ajudar tanto a mãe quanto ao pai a entenderem-se a si mesmos e também a entenderem melhor um ao outro, o que poderá facilitar as transições emocionais durante a gravidez, mas também torna a relação entre o casal mais próxima. Falar sobre o que estou a sentir, com delicadeza, parecer-me ser a melhor atitude!
Ainda assim, o melhor ainda está por vir! Alguns homens sentem no final da gravidez, uma grande necessidade de descarregarem a sua criatividade: pintam ou redecoram o quarto do bebé ou aventuram-se em coisas mais complicadas como fazer um berço, esta é uma forma de ficarem ainda mais envolvidos com a chegada do filho.
Acho que para já isto ainda não aconteceu com o J.!!!

cpp