Mães e pais na 1ª pessoa

14 de Maio de 2013

O dia em que fomos visitar animais abandonados…

Já sabem da paixão dos meus filhos por cães…
– TODOS os dias me pedem um!!! –
E minha também.
O meu Shot, um labrador preto, fez mesmo parte da família

e quando morreu foi uma dor imensa!

1

Não tenho nenhum no momento porque,
para além de viver num apartamento,
– o que muita gente diz que é uma desculpa –
tenho filhos pequenos,
o meu marido nem sempre chega cedo,
há os veterinários, as vacinas, os cocós,
os xixis, a morte,
e não sinto ainda que tenho condições para um…
Adorava… mas é esta a realidade.
Para se ter um animal de estimação
é preciso espaço, tempo e capacidade
para o amor superar tudo.

2
No entanto, não dou a minha opinião por concretizada
e vou estudando e analisando
a importância – e a responsabilidade – de um compromisso tão grande.
Até porque não acho justo dizer não porque não.
Quero que eles percebam bem as razões.

3
E lá fomos nós até à

conhecer alguns dos animais
que alguns seres humanos
desprezaram ou tiveram de deixar para trás,
por inúmeras razões. A maior: a crise!
Fiquei tãooooo bem impressionada
com as instalações, o amor
e a limpeza do espaço.

Claro que apetece trazer um.
(Aiiii…. este aqui em baixo!!!)

4
Claro que arrisquei a umas boas birras.
Mas expliquei tudo muito bem
e eles nem falaram nisso.
Falaram sim nas pessoas más que abandonam animais.
E essa era a lição!
Até terem idade para ficarem sozinhos em casa
ou não tenha pena de os levar a passear
o nosso cãozinho à noite no inverno….
Até esse dia, acho que não.

5
E já que é isto,
então porque não nos enfiarmos dentro das casotas,
pensaram eles! 😉
6
Parabéns à Fundação pelo trabalho maravilhoso que faz!
E pela oportunidade de estudarmos uma adoção responsável.