Sem categoria

7 de Março de 2016

O Bullying e as suas implicações: perguntas e respostas.

O que é o Bullying?

Poderemos entender o bullying como uma intimidação ou ataque físico, verbal ou psicológico, praticado com o intuito de causar medo, perturbação ou ofensa à vítima, sendo o agressor habitualmente mais forte do que o agredido e acontece habitualmente entre os pares. De um modo geral, o bullying é um padrão repetido de comportamento lesivo, onde o agressor sente satisfação em magoar as pessoas que considera mais fracas, procurando aumentar a sua noção de poder.

Onde ocorre o bullying em contexto escolar?

Geralmente acontece no recreio durante os intervalos, em locais menos supervisionados, isto é, atrás dos polos, pavilhões da escola, por vezes nos campos desportivos, nas casas de banho e/ou balneários e também à saída da escola, em locais mais escondidos.

Quais as formas e manifestações mais comuns de Bullying?

Pode ocorrer de forma direta através de insultos, violência física, destruição de pertenças, de forma indirecta, através da rejeição social, difamação. Atualmente, é muito comum o recurso às novas tecnologias para intimidar-se e maltratar os colegas, falamos de cyberbullying, e tem-se revelado uma forma violenta de agressão. Para além disso, podem distinguir-se diferentes tipos de bullying: o mais comum é o verbal, e em seguida o bullying de forma física, e o social.

BULLYING

O que acontece depois de um episódio de bullying?

Habitualmente as crianças ou adolescentes vítimas de bullying sofrem em silêncio apavoradas com tudo aquilo que lhes aconteceu. Por essa razão, num momento inicial, o silêncio pode imperar, e é como que uma forma de garantir que aquilo não voltará a acontecer “pode ser que o episódio passe despercebido”. Outra razão para o silêncio deve-se ao facto de, na maioria dos casos, as vítimas serem ameaçadas pelos bullies caso partilhem com alguém, especialmente com um adulto / cuidador.

Por esta razão, particularmente em contexto escolar, é fundamental os profissionais estarem aptos para o reconhecimento dos casos de bullying, de modo a impedir que aconteçam com a frequência e intensidade a que se assiste nos dias de hoje. Sensibilizar-se a escola e também a família para este fenómeno é muito importante e não se pode descurar as consequências que o bullying causa na vida das crianças e adolescentes e que se prolongam até à idade adulta.

Quais as consequências nas crianças e adolescentes que são continuadamente vítimas de bullying por parte de alguns colegas?

São inúmeras as consequências de quem é vítima de intimidação verbal e física e a investigação tem demonstrado o desenvolvimento de um auto conceito negativo, problemas de sono, recusa em ir à escola, baixo rendimento escolar (provocado pelo desinvestimento e apatia face a tudo, inclusivamente à escola) episódios de enurese (especialmente nocturna), isolamento social e tentativas de suicídio. Sabe-se que existe uma forte prevalência de depressão em crianças e adolescentes vítimas de bullying.

O que pode constituir fatores de risco, isto é, o que pode desencadear estes comportamentos mais violentos nas crianças e adolescentes que são habitualmente “os bullies”? 

Fracos vínculos afectivos, ambiente familiar instável, negligência parental, défice de competências sociais e pouca capacidade de empatia, o grau de permissividade dos pais perante uma conduta agressiva por parte dos filhos, ausência de recursos de auto regulação, sentimentos de rejeição percepcionados pela criança e também o absentismo escolar.

Por outro lado, o que pode constituir fatores de protecção, ou seja, o que pode ser favorável no sentido da prevenção destes comportamentos desviantes por parte das crianças e adolescentes agressoras?

Uma vinculação segura, um ambiente familiar estável e coeso (ausência de negligência parental e agressividade na família), aceitação por parte dos amigos/grupo de pares, sentimentos de pertença, desenvolvimento de comportamentos de entre ajuda, envolvimento em atividades extracurriculares (dentro e/ou fora da escola), apoio por parte da comunidade, boa consciência acerca das normais sociais e orientação para a rotina e organização escolar.

O bullying acontece diariamente nas escolas e não se trata apenas de desentendimentos entre colegas ou de pequenas brigas. Aliás as zangas entre pares são um processo perfeitamente natural e saudável para o desenvolvimento psicossocial das crianças e adolescentes. O bullying é muito mais do que “uma piada” sobre um colega, ou um “empurrão” após uma discussão entre os pares. No bullying observa-se um comportamento de agressão continuado, há uma intencionalidade para magoar o outro de forma sistemática e existe um desequilibro de poder entre quem intimida e a vítima.

A sensibilização e prevenção são fundamentais.

*Um artigo exclusivo para Barrigas de Amor®

Cecília Santos

Psicóloga Clínica

 

Logo