Espaço Família | Como Cresceram

Coaching Parental

4 de Junho de 2015

Nutrir Afetos na Infância

nutrir afectos

Quando ouvimos a palavra “nutrir”, facilmente nos remetemos à nossa saúde física: nutrir a pele, nutrir o cabelo, ter uma alimentação nutritiva, etc. Contudo, não são só estas dimensões que necessitam deste cuidado. Os afetos também necessitam de ser nutridos e estão repletos de nutrientes essenciais à nossa saúde emocional. Se nos adultos esta é uma dimensão importante, então quando falamos de nutrir afetos na infância, esta ganha uma importância ainda mais significativa.

Será que dedicamos tempo suficiente a nutrir os afetos nos mais pequenos? Também o mundo dos afetos precisa de ser cuidado desde a infância, onde este assume um papel particularmente importante. Assim, deixamos-lhe os principais nutrientes com os quais deve alimentar os afetos no seu filho, para uma vida emocional saudável:

Aceitação Incondicional: as crianças (tal como os adultos) são como o mar que por vezes está calmo e que outras vezes está agitado e mais revolto. Se por um lado é fácil lidar e aceitar a fase de acalmia, por outro lado é difícil aceitar as fases de maior agitação. A aceitação incondicional implica precisamente alcançar um equilíbrio na aceitação do ser humano tal como ele é, com as suas qualidades e os seus defeitos. Esta aceitação incondicional é particularmente importante na infância, uma vez que as crianças são autênticas esponjinhas que absorvem o mais pequeno sinal de crítica, reprovação ou de incoerência entre aquilo que dizemos e que fazemos, o que pode provocar na criança uma atitude mais defensiva e sentimentos de insegurança e de desaprovação. Procure mostrar ao seu filho que o aceita tal como ele é, apesar das birras, dos ralhetes e dos castigos e que o amará sempre de forma incondicional.

Respeito incondicional: uma das preocupações dos pais é que os filhos tenham sempre uma atitude de respeito para com as outras pessoas. A melhor forma de promover o respeito das crianças pelos outros é tendo a mesma atitude de respeito para com as crianças. Procure respeitar a criança nas suas opiniões, no seu ritmo, nas suas necessidades, sem reservas.

Reconhecimento e valorização: reconheça e valorize os pequenos ganhos do seu filho. Procure estar atento às mais pequenas coisas, seja um obrigado, um gesto simpático, o cumprimento de uma tarefa simples, não hesite em demonstrar o quanto valoriza e fica contente ao seu filho. Desta forma, estará a promover a auto-estima da criança.

Expressão afetiva: este constitui um verdadeiro bálsamo para a saúde emocional. Mime muito, preencha a sua relação com o seu filho de beijinhos, abraços e gestos de carinho. Desta forma estará a incutir emoções positivas e a promover a expressão afetiva no seu filho ao longo do seu desenvolvimento.

Comunicação afetiva: procure comunicar com o seu filho de uma forma afetiva. Não se iniba de dizer ao seu filho o quanto o ama, o quão orgulhoso se sente de alguma coisa que ele tenha dito ou feito, de dizer de todas as formas o quanto ele é importante para si e a cada “mamã/papá, gosto muito de ti” devolva o quanto gosta de ouvir isso e o quanto gosta dele também.

Não se esqueça: hidrate e cuide dos afetos dos seus filhos: o desenvolvimento deles agradece e eles retribuirão sempre da melhor maneira do mundo para qualquer mãe ou pai: sendo felizes!

Sandra Azevedo |Psicóloga Clínica

Oficina de Psicologia

Oficina da psicologia LOGO