Atualidade

25 de Julho de 2014

Nova técnica de FIV mais segura

Um novo método de fertilização in vitro (FIV) pode tornar os tratamentos de fertilidade mais eficazes e seguros, segundo um novo estudo publicado no “Journal of Clinical Investigation”.

Os cientista do “Imperial College London” e do “Imperial College Healthcare NHS Trust”, no Reino Unido, utilizaram a hormona kisspeptina para amadurecer os óvulos. Habitualmente é utilizada a hCG (gonadotrofina coriónica humana), que pode ter alguns efeitos secundários em algumas mulheres, como a hiperestimulação ovárica, o que pode provocar náuseas e vómitos.

A kisspeptina é uma hormona que está envolvida em alguns dos processos da puberdade.

Durante o estudo, foram transferidos um ou dois embriões fertilizados para o útero de 49 mulheres, tendo 12 delas ficado grávidas. Um bom resultado, comparativamente com o obtido com a terapia convencional para FIV. “O nosso estudo demonstrou que kisspeptina pode ser utilizada como um estímulo fisiológico da maturação do óvulo no contexto da FIV. Foi com grande alegria que vimos nascer 12 bebés através da utilização deste método”, disse, Waljit Dhillo, um dos autores do estudo.

O investigador acrescentou que estão atualmente a planear mais estudos para testar o efeito desta hormona em mulheres com ovários poliquísticos que são mais propensas a terem hiperestimulação ovárica.

Fonte | Pais&Filhos