Mães e Pais na 1ª Pessoa

Olga Reis 

O Rei vai Nú

Nônô no Ballet

Sempre achei que iniciar os miúdos numa actividade desportiva era bom, mas apenas uma. Não concordo que tenham muitas actividades, até porque nestas idades é super importante o brincar, na  medida em que ajuda no desenvolvimento e fomenta a aprendizagem por meio de avanços sociais e cognitivos mediados pelo brinquedo. De qualquer forma, uma actividade desportiva sã e equilibrada favorece o crescimento e reforça as defesas da criança. O desporto tem também um papel importante na socialização, distracção e diversão. Normalmente os pequenos têm desde logo uma preferência do desporto que gostariam de praticar e a sua escolha é influenciada por várias circunstâncias. É justo respeitar os seus desejos e inclinações, pois devem experimentar coisas novas e, acima de tudo, divertir-se.
Desde os 3 anos que a Nônô diz que quer ir para o ballet. Na verdade isto começou a acontecer porque a avó Tita ofereceu-lhe o livro “Anita no Ballet”. Como a pequena gosta muito de livros e de ouvir histórias andou durante uns tempos sempre a pedir para lhe ler esse livro e vai na volta pedia para ir para o ballet. Deixei-a “maturar a vontade” e este ano continuava a pedir a mesma coisa.
Depois de alguma pesquisa sobre escolas de Ballet, decidimos que queríamos que fosse apenas uma vez por semana (que é o suficiente para estas idades) e perto da logística diária. Fomos conhecer a escola, o espaço, as pessoas e ficou combinado a Nônô experimentar uma primeira aula, sem compromisso. Nesse dia a miúda estava que não se podia, super contente e ainda por cima fez uma amiga, a pequena C. que, como ela, também ia à aula experimental. Certamente já conhecem a pequena C., porque a mãe também tem um blogue, Cacomae, que sigo (já faz tempo) e adorei conhecer a A. pessoalmente. 5 estrelas! Para não falar que o seu blogue é também uma referência dos “mummy blogs”, sem dúvida!
A Nônô adorou a aula e, está claro, birra para ir embora. Mas como o ballet tem algum rigor na indumentária e as meninas precisam de um equipamento especifico e igual (meias, maillot, sapatilhas, fita e por aí) e, antes de iniciar a aula não se calava em que também queria ter roupas iguais às outras meninas consegui que parasse com a birra e lá fomos experimentar o equipamento. Estava radiante! Quis ir vestida para fazer surpresa ao pai. Quando cheguei a casa e o pai perguntou como foi e o que fez, ela responde: “é muito lindo e divertido… fiz uma amiga igual a mim! também é loira dourada como eu e vamos ser amigas bailarinas de passarinhos em pézinhos!”.

olga reis

Blog O Rei Vai Nu