Mães e Pais na 1ª Pessoa

Mãe eu sou adotada?

Adoro tirar fotografias. Adoro os contrastes de cores, as formas e sobretudo adoro captar os momentos para mais tarde poder recorda-los. Por essa razão tenho muitas fotos. Ainda recordo quando me ofereceram a primeira máquina fotográfica. Fiquei radiante e ao mesmo tempo com um dilema importante. Os rolos iniciais eram de 12 fotos, mais tarde passámos para 24, mas ainda assim, para mim sempre foi muito difícil gerir o que queria fotografar. Pois além da limitação do número de fotos, cada vez que tinha que ir revelar um rolo fotográfico lá se iam as minhas mesadas.

Quando surgiu a fotografia digital foi uma alegria. Comecei a tirar fotos de tudo e de todos até que me aborreci por não ter limites. Podia tirar as fotos que queria e não era necessário imprimi-las.

Nas vésperas da minha filha mais velha nascer resolvemos comprar uma boa câmara para podermos registar a evolução gradual que ela ia tendo. Até comprei um livro para colar as fotos e fazer um álbum sobre ela. Mês a mês deliciava-me a recordar as fotos no computador (como se já tivesse passado muito tempo!) e a fazer a seleção das melhores para enviar para os avós mas confesso que fui deixando o álbum por fazer. Esquecido ficou até ao dia de ontem em que a minha filha me perguntou do nada: “mãe eu sou adotada?”. Eu que estava a terminar de lavar a louça, girei-me de repente, tentando parecer calma e lhe disse “não, tu não és adotada, mas porque é que me fazes essa pergunta?”. Naquele instante passaram pela minha cabeça uma série de questões mas quando me diz “ porque nunca me mostraste uma fotografia tua comigo na barriga” fiquei paralisada. Tinha razão. Tinha toda a razão! É claro que já lhe mostrei uma fotografia minha grávida, mas o facto de não ter imprimido essa fotografia e de não lha mostrar com alguma frequência ela terminou por esquecer.

Este é o único senão que encontro na nova era digital de fotos. Tiramos tantas fotos que se torna difícil por vezes escolher as melhores e na maioria das vezes nos esquecemo-nos ou pensamos que não é importante imprimi-las. No final, acabamos por encher o computador com fotos e acabamos por não saber onde encontra-las!

Hoje dei por mim a organizar as fotos que tenho no computador e deixo-vos aqui uma dica para fazerem o mesmo com as vossas (acredito que sejam poucos aqueles que têm as fotos todas organizadas … confessem! ).

A forma mais simples para organizar as fotos é tentar descarrega-las da câmara fotográfica ou do computador no final do mês. No computador devemos criar uma pasta com o ano, e dentro de cada ano, várias subpastas com o mês. Em determinados meses criei também algumas subpastas com o título dos acontecimentos que fotografei (anos da B, anos do M.). Dá muito trabalho mas confesso fica muito mais fácil para encontrar as fotos!

Blog | O meu Laboratório de Sonhos