Espaço Família | Somos um Casal

Nutrição

26 de Maio de 2014

Mãe aos 40 anos

Aos 41 anos Mariah Carey foi mãe pela primeira vez de um casal de gémeos. Salma Hayek concebeu a sua primeira filha aos 41 anos.

Aos 47 anos, a atriz Halle Berry deu à luz um menino, Madonna teve Rocco, o seu filho biológico mais novo, aos 42 anos e foi também aos 40 anos que a atriz Julia Roberts teve o seu terceiro filho.

Estes são apenas alguns exemplos, mas não é só em Hollywood que mulheres com mais de 40 estão a escolher ser mães pela primeira vez ou a ter mais filhos nessa idade.

Cada vez mais, há mais mulheres a engravidar depois dos quarenta.

Mas o que há de bom em esperar para engravidar nesta idade?

A maior vantagem é sem dúvida o ter-se esperado. Assim, a certeza de que se quer ser mãe é total e a futura mamã já teve tempo para viver a vida, ver o mundo e amadurecer. Nesta altura, é mais provável que haja uma maior estabilidade financeira e que se goze de uma carreira bem sucedida bem como de um relacionamento estável e feliz.

Alguns estudos comprovam o que já era expectável: mulheres mais velhas, em geral, têm mais sabedoria do que as mulheres mais jovens e tomam melhores decisões em relação à educação e aos cuidados dos filhos.

Nesta idade a mãe já sabe que cuidados deve ter durante a gravidez, como a alimentação,  e prefere comer de forma saudável escolhendo alimentos que façam bem ao bebé.

Só para a relembrar… Existem muitas ideias preconcebidas ou mesmo falsas sobre a alimentação da mulher durante a gravidez. Na prática, a sua alimentação nos primeiros três meses de gestação não deve ser diferente da população em geral. Antes de tudo, planeie uma alimentação saudável e baseada nos conceitos de moderação e controlo alimentar. Que seja variada e repartida, ou seja, faça uma adequada distribuição dos alimentos ao longo do dia (em 5 ou 6 refeições) e procure variar o mais possível na escolha dos alimentos que consome. Sem esquecer que as suas necessidades estão aumentadas em alguns nutrimentos com função reguladora (vitaminas, sais minerais, fibras e água) e construtora (proteínas). 

Por isso, é importante que valorize a qualidade da sua alimentação, pois não é por comer muita quantidade que o seu bebé irá desenvolver-se melhor. A ideia de que deve comer por dois, não podia estar mais errada…

Mas obviamente também existem desvantagens em ser-se mãe nesta idade (infelizmente até em maior número).

A maior desvantagem em adiar a gravidez para depois dos 40 anos tem que ver com a dificuldade em engravidar. Engravidar nesta idade é mais difícil, independentemente de ser ou não o primeiro filho.

A razão dessa maior dificuldade é que o número de óvulos que a mulher produz começa a diminuir cerca de 15 anos antes da menopausa. Para além disso, há mais hipóteses de os óvulos produzidos terem defeitos nos cromossomas o que aumenta o risco de aborto espontâneo ou malformações do feto.

Outro grande impedimento são as possíveis complicações na gravidez. A partir dos quarenta, as mulheres têm maior risco de desenvolver diabetes gestacional ou sofrer de pressão alta. Há também um maior risco de problemas com a placenta ou no parto.

E é importante não se esquecer também do pai. Apesar de os homens serem capazes de ter filhos aos 60 e até aos 70 anos, a qualidade dos espermatozoides também baixa com o passar do tempo. Isso traz um risco maior de defeitos genéticos no bebé.

Existe ainda a questão do tamanho da família.  Ao deixar a gravidez para depois dos 40, a mulher limita o número de filhos que terá, diminuindo as hipóteses de ter dois ou três filhos por falta de tempo fértil.  Há também  uma enorme probabilidade de ter de continuar a trabalhar para além da idade da reforma para manter os filhos na escola ou na faculdade.

É normal que depois de ler tudo isto, onde as desvantagens estão em maior número que as vantagens, haja uma tendência para desanimar ou para se assustar. Não se esqueça de que há mulheres que engravidam depois dos 40 e têm gravidezes tranquilas e bebés saudáveis e que crescem em famílias muito felizes.

Antes de tudo, escolha ter um filho certa de que não lhe faltará amor. Escolha também ter um filho porque o quer. Não importa a idade mas a vontade. Seja mãe se essa for a sua vontade. E seja feliz. Sempre.

Dra. Iara Rodrigues

Nutricionista