Espaço Família | Como Cresceram

Atividades

30 de Outubro de 2014

Livros de capítulos

Quarto_das_Brincadeiras_Roald_Dahl_b5607b718cbea52684f993862b5d68c0

No ano passado, passámos um mês de férias sem televisão na Tunísia. Como sempre, tentámos minimizar a quantidade de tralha que íamos levar, mas quando chegou à parte dos livros — um mês e duas crianças de 4 e de 6 — tivemos um dilema terrível, eram muitos e pesavam demais. Foi nessa altura que me lembrei dos vários textos de Neil Gaiman onde ele fala nos livros que lia às filhas quando eram pequenas e decidi arriscar e “promover” os filhos aos “livros de capítulos”. Fomos a uma livraria e comprámos vários livros do Roald Dahl* que os filhos folhearam e transportaram para casa com imenso orgulho por se terem tornado donos de livros “para crescidos”. Na primeira noite, foi um excitação enorme, o primeiro capítulo teve que ser lido com repetições em quase todos os parágrafos, porque nenhum dos dois conseguia ficar calado e porque um livro com poucas ilustrações requer muito mais atenção ao que está a ser dito. No fim do primeiro capítulo do primeiro livro estavam curiosíssimos para saber o que se ia passar a seguir. E tem sido assim desde então. Com o tempo, eles já conseguem saber em que capítulo ficaram sem ser preciso marcar a página. Já passámos por vários autores e eles começam a ter os seus preferidos e a trazer os das bibliotecas das escolas. Como é óbvio, continuam a ler os livros ilustrados, mas esses agora são os livros deles, que eles se lêem um ao outro ou que lêem sozinhos. Os livros de capítulos, esses, são os livros da família.

* Roald Dahl é um escritor inglês do século XX, autor de vários livros infantis pouco convencionais (e muitas vezes politicamente incorrectos) ilustrados por Quentin Blake. O mais conhecido, Charlie e a Fábrica de Chocolate foi adaptado por Tim Burton para o cinema. Em Portugal, os seus livros estão editados na Terramar.

[Este texto foi escrito pela Sandra Alvarez e faz parte de uma série de ideias que outras mães e pais vão deixando por aqui todas as terças-feiras.]
Idades:  6-8 anos

Informação adicional: [Sobre a autora: Sandra é mãe de uma rapariga e de um rapaz, de 7 e 5 anos, e lá em casa não há certezas sobre quem gosta mais se livros infantis, se a mãe, se os filhos.]
quarto-das-brincadeiras-logotipoUma ideia por dia para se divertir com as suas crianças.