Atualidade

10 de Novembro de 2014

Jovem cria incubadora ‘lowcost’ que pode salvar vidas

James Roberts, um britânico de 23 anos, desenvolveu a MOM, uma incubadora portátil e insuflável ‘lowcost’ que pode salvar a vida a milhares de bebés em todo o mundo. O projeto venceu o prémio da Fundação James Dyson, nos EUA.

A MOM, vencedora do prémio James Dyson 2014 que premeia projetos de engenharia, pode ajudar a salvar bebés prematuros em todo o mundo, é de transporte fácil e pode ser insuflada manualmente.

Este dispositivo tem um custo de cerca de 320 euros, quando o preço de uma incubadora ‘normal’ ronda os 36.000 euros. Desta forma a MOM poderá estar disponível em países com poucos recursos.

A Organização Mundial de Saúde revela que, em todo o mundo, um em cada dez bebés nasce prematuro. 75% das mortes de bebés nascidos antes do tempo normal de gestação podem ser evitadas através de tratamentos de baixo custo que, na maioria dos casos, não estão disponíveis em determinados países.

10112014_manha_I

A incubadora, para além de ser facilmente transportada e montada, possui uma bateria com autonomia para 24 horas. O aquecimento é feito através elementos feitos de cerâmica e pode ser regulado através de um pequeno ecrã. No caso de a criança sofrer de icterícia, a incubadora possui uma unidade de fototerapia.

“Inspirei-me na construção da MOM quando vi um documentário sobre a altíssima taxa de mortalidade entre os bebés prematuros em campos de refugiados. Isso motivou-me a utilizar o meu conhecimento de engenharia num projeto que fizesse a diferença”, explicou James Roberts, engenheiro formado na Universidade de Loughborough, em Inglaterra  na página do prémio.

O engenheiro confessou que “como muitos inventores jovens” tem tido vários desafios durante o processo: teve por exemplo que vender o seu carro para financiar o primeiro protótipo da MOM. James confessou ainda que o seu sonho é conhecer uma criança salva pela sua incubadora.

Roberts irá receber cerca de 36.000 euros do prémio James Dyson para que a incubadora possa ser testada e, assim, dar início à sua produção em massa.

“A invenção de James mostra o impacto que a engenharia pode ter na vida das pessoas. (…) O James criou algo que pode salvar milhares de vidas”, afirm James Dyson na página do prémio com o seu nome.

Fonte | Boas Notícias