Espaço Família | Como Cresceram

Atividades

24 de Julho de 2014

Instrumentos de música para todos

3

3.1 3.2 3.3

3.4 3.5

Se quiserem passar um par de horas divertido, proponham aos miúdos construir instrumentos musicais. Sim, com o que tiverem em casa! Os meus três filhos adoram experimentar sons e fazer os seus próprios brinquedos, de maneira que recebem sempre esta proposta com muito entusiasmo! Podemos transformar uma lata num tambor se lhe retirarmos a tampa e a cobrirmos com um balão resistente muito bem esticadinho, ao qual cortámos antes a ponta (para verem como, podem ir à galeria de imagens). Pode decorar-se a parte de baixo com fita isoladora às cores e atar uma corda na de cima. A fazer de baqueta, um pauzinho de espetada com uma bola de pingue-pongue na ponta, ou de esferovite, ou um trapo enrolado… Essa baqueta de pingue-pongue pode transformar-se em maraca se lhe pusermos arroz dentro da bola, ou se pusermos arroz dentro de uma garrafa de plástico que depois decoramos com fita adesiva às cores. Também podemos pôr grão, feijão ou lentilhas dentro de alguma embalagem de desodorizante, por exemplo, e ouvir os diferentes sons. Já fizemos uns quantos instrumentos de percussão, mas como podemos fazer um instrumento de corda? Se aproveitarmos elásticos de diferentes espessuras, um lápis e uma caixa de cartão com um círculo recortado, faremos uma guitarra. Montamos os elásticos à volta da caixa, apoiados no lápis e sobre o buraco. Então, quando tocamos as diferentes “cordas”, podemos perceber também diferentes vibrações, diferentes sons… Experimentem, que os pequenos vão adorar!

[Este texto foi escrito pela Inês Castel-Branco, autora do blogue Mama Recicla, e faz parte de uma série de ideias que outras mães e pais vão deixando por aqui uma vez por outra.]

Idades:  0-2 anos, 3-5 anos, 6-8 anos, 9-12 anos, Mais de 12 anos

Informação adicional: 

[Sobre a autora]

Chamo-me Inês Castel-Branco, tenho 37 anos e três filhos de 3, 5 e 7 anos. Estava a estudar Arquitetura no Porto quando decidi fazer um ano Erasmus em Barcelona (1999-2000), e já só voltei a Portugal para férias. Nesta cidade percebi que um arquiteto não tem de passar todo o dia a projetar cozinhas e casas de banho num escritório. Fiz a tese sobre o teatro dos anos 60, depois fundei uma editora com o meu marido e entrei assim a fundo no mundo da tipografia, da maquetagem de livros e do desenho gráfico. Os filhos foram nascendo, de dois em dois anos, e com eles explodiu também a criatividade: em casa pintamos muito, fazemos os nossos brinquedos, reciclamos o que encontramos… As minhas últimas paixões são a fotografia, os vídeos, a ilustração infantil, a costura e a cozinha. Os meus dias precisariam de mais horas!

“Uma ideia por dia para se divertir com as suas crianças”