Mães e Pais na 1ª Pessoa

Débora Barroso 

Nós e as Marias

Homem de Ciência, Homem de Fé!

Sou um homem de ciência! Sempre fui!

E sempre fui demasiado cético! Nunca acreditei em Deus ou em Deuses! Nunca acreditei em milagres! Nunca acreditei em nada que não pudesse ver, palpar, medir, quantificar! E nunca acreditei no destino! Sempre acreditei que eramos aquilo que fazíamos, e que o nosso presente e o nosso futuro dependiam exclusivamente de nós! Um homem constrói o seu próprio destino! E tudo o que acontece, acontece porque algo ou alguém assim o quis ou assim o fez! Sempre acreditei que as coincidências existiam realmente! Alguém teve um pressentimento de que algo iria acontecer e aconteceu mesmo?! Coincidência apenas! E Deus? Que é isso? Deus não existe! Não existe mais nada para além daquilo que conseguimos ver, ouvir, sentir, cheirar, saborear! São 5 os sentidos que temos, não 6!

Mas a vida tem traços deliciosos de ironia! E prega-nos partidas a cada momento! Partidas que não estamos à espera, e que têm a capacidade de nos transformar, de nos fazer mudar a forma como pensamos.

Vou-vos contar uma história:

No dia 11 de Março de 2014, fui pai de duas meninas prematuras! Muito prematuras, com 25 semanas de gestação. Quando elas nasceram, acompanhei-as até aos cuidados intensivos, mas quando aí chegámos, não consegui entrar. Fiquei à porta, do lado de fora, e enquanto ouvia mil e um alarmes, sem saber se elas sobreviveriam ou não, sentei-me no chão, desesperei, e chorei!

Escondi-me num corredor ao lado, escuro, deserto. Sentei-me no chão, tapei com força os ouvidos para não ouvir os alarmes, e deixei-me ali ficar! Junto a duas plantas que repousavam sobre uma mesa! Tantas ironias! Tantos sinais! Tantas… coincidências!

Sou um homem da ciência, e estava rodeado dela! Num local com a melhor tecnologia possível no que diz respeito a cuidados intensivos neonatais, e com os melhores profissionais do mundo! Sou um homem de ciência! Mas nesse momento, foi a Deus a quem eu pedi ajuda! Curioso como, até os mais céticos, quando não encontram nenhuma outra solução, olham para Deus! Foi com ele que falei, foi com ele que desabafei, foi ele o único que esteve ali a meu lado, que me amparou, que não me deixou cair! Foi ele que me fez pensar que não me tinha sentado ali por acaso! As duas flores que ali repousavam, era o sinal que eu pedia, de que as minhas filhas ficariam bem! Foram elas o meu único apoio, o meu único consolo, a minha única companhia!

Os minutos pareceram-me horas!  E após uma longa espera, que não faço ideia de quanto tempo tenha sido, surgiu a primeira cara diante de mim, uma enfermeira que me trazia notícias. Assim que a vi, a primeira pergunta que me saiu sem sequer pensar: “elas estão vivas?”, e a resposta que nunca irei esquecer: “tem calma, elas estão vivas e estão bem”. Naquele momento, tive um pressentimento, um feeling, uma certeza! Uma certeza de que tudo correria bem! A escuridão deu lugar à luz, o medo deu lugar à esperança, à alegria, à Fé!!! Não sei de onde veio essa certeza, essa Fé! Mas veio de algo superior, algo que desconhecia até então! Nesse momento, acreditei em mais que 5 sentidos! Nesse momento, acreditei em mais que aquilo que víamos e que palpávamos! Nesse momento, acreditei que existia algo mais, muito maior que tudo o que conhecia até àquele momento!

Transformei-me, naquele momento, num Homem de Fé!

E como homem de Fé, fui a Fátima com a minha Mulher, ela sim, uma verdadeira Mulher de Fé, durante toda a vida! Uma Mulher com valores, ideais e princípios humanos, mas com a simplicidade e humildade que me faltavam até aí, e sem o cinismo e o cepticismo de quem não acredita em algo superior.

Quando lá cheguei, falei com Nossa Sra, e pedi-lhe, também a ela, um sinal! Depois de conversarmos com ela, a minha mulher insistiu para entrarmos numa loja para comprar tercinhos para as nossas meninas. Assim foi. Era a loja da Jacinta. Pouco depois, antes de partirmos para Lisboa, como que por impulso, como se alguém nos guiasse até ali, fomos visitar a sepultura de Jacinta, e arrepiei-me quando vi a sua data de nascimento: 11 de Março!!!! Coincidência? Ou o sinal que tinha pedido?

Bem sei que desde então, toda a ciência, toda a tecnologia e acima de tudo todos os profissionais maravilhosos que cuidaram das nossas filhas foram fundamentais para que elas conseguissem lutar e vencer todos os desafios enormes que se lhes foram deparando, mas não duvido por um segundo que a força do nosso Amor, do nosso Acreditar, da nossa Fé, foram também eles muito importantes!!

Hoje sou um homem de Ciência! Hoje sou um homem de Fé!!!

Blog | Nós e as Marias