Espaço Família | Somos um Casal

Planeamento Familiar

20 de Abril de 2013

Hoje fizemos os exames para poder engravidar

Hoje fomos fazer os exames para podermos avançar com o nosso sonho, o nosso bebé! Tal como a Drª Carla nos disse na consulta pré concepcional, estes exames são importantes para avaliar a saúde da mãe e detectar a existência de agentes que possam interferir com a gravidez. Fizemos os seguintes exames:

1.    Hemograma: permite detectar a condição física geral de um adulto, a existência de infeções, anemia, entre outros;
2.    Grupo de sangue e factor Rh: para se perceber se poderá haver incompatibilidade entre o sangue da mãe e do pai;
3.    Glicémia em jejum: mostra a existência de diabetes e a probabilidade de desenvolver diabetes gestacional;
4.    Urina: permite detectar a existência de infecções urinárias não sintomáticas;
5.    Serologias: é pesquisada a existência dos seguintes agentes:
a.    Citomegalovirus: vírus muitas vezes inocente para os adultos, mas que se estiver presente durante a gravidez, poderá levar a mal formações fetais importantes;
b.    Rubéola: vírus que poderá levar à cegueira, surdez ou outras mal formações graves no feto, se este surgir durante a gravidez. A maioria das mulheres está imunizada pela vacinação.
c.    Toxoplasmose: este protozoário é transmitido pelo contacto com as fezes dos animais, através da manipulação de terra e ingestão de alimentos crus e verduras mal lavadas. No decorrer da gravidez, poderá levar a mal formações visuais graves entre outras.
d.    VDRL (Sífilis): doenças transmitida pelos contactos sexuais não protegidos, que poderá desencadear mal formações para o feto e levar ao aborto;
e.    Hetatite B: Vírus que poderá ser transmitido ao bebé no momento do parto. Nas mães com hepatite B, é necessário o bebé fazer imunoglobulina após o nascimento, antes da vacinação, que funciona como um “antídoto” contra a contaminação.
f.    HIV: é um vírus que poderá ser transmitido ao bebé durante a gravidez, parto e amamentação. As mães com HIV têm que fazer medicação para diminuir a transmissão vertical ao feto. Determina a necessidade de uma cesariana e de introdução de antirretrovirais no recém nascido para limitar a hipótese de transmissão de mãe para filho.
6.    Ecografia pélvica: permite perceber as reais condições do útero e ovários e se se encontram aptos para receber o bebé durante toda a gravidez.

Dentro de uma semana, teremos os resultados!

cpp