Atualidade

6 de Agosto de 2014

Grávidas que sofrem de enjoo matinal têm bebés mais inteligentes, diz estudo

O enjoo matinal que acomete muitas mulheres durante a gravidez pode ser um sinal de que o bebé que irá nascer será mais saudável e mais inteligente, aponta um novo estudo.

A pesquisa realizada pelo Hospital para Crianças Doentes em Toronto, no Canadá, aponta que mulheres com sintomas de náusea e vómito durante a gravidez tiveram menos abortos espontâneos e deram à luz bebés maiores e mais saudáveis do que outras que não haviam experimentado esses problemas. O enjoo matinal também foi associado a um índice menor de crianças com defeitos de nascença – e com bebés que apresentaram melhor desenvolvimento.

As conclusões publicadas no Reproductive Toxicology Journal devem servir de alívio para as mulheres. O enjoo matinal afecta até 85% das mães durante a gravidez e é causado basicamente pelo aumento rápido em gonadotropina, uma hormona libertada pela placenta. Contribuem também outras hormonas que ainda estão a ser identificadas para um quadro pré-natal mais favorável, diz o estudo.

Os cientistas reuniram dados de dez diferentes estudos conduzidos em cinco países entre 1992 e 2012 – num total de 850 mil grávidas.

No estudo, o risco de aborto espontâneo apareceu mais de três vezes maior para mulheres sem sintomas de náusea e vómito, do que para aquelas que sofreram com tais sintomas. Mulheres acima de 35 anos, em especial, beneficiaram do que os pesquisadores chamaram de «efeitos protectores» associados ao enjoo matinal.

Náusea e vómito durante a gravidez foram associados a um risco menor de crianças nascidas abaixo do peso, além de um índice reduzido de bebés prematuros – 6,4% comparados aos 9,5% dos nascidos de mães que haviam experimentado uma gravidez livre dos sintomas.

O novo estudo descobriu que outros benefícios incluem um índice 30% menor de bebés com defeitos de nascença. Em algumas pesquisas, esse número chegou a cair 80%.

Quando o assunto é inteligência, os pesquisadores afirmam que os bebés nascidos de mães que sofreram enjoo matinal tiveram crianças mais com maior pontuação em testes de QI, linguagem e comportamento.

Durante os anos, as grávidas recorreram a remédios caseiros como chá de gengibre até vitaminas e antiácidos para tentar livrar-se dos efeitos do enjoo matinal, mas estudos publicados anteriormente concluíram que não havia uma «cura» para essa manifestação.

Fonte | Diário Digital