Espaço Família | Como Cresceram

13 de Abril de 2015

Gengivite vs. Periodontite

A gengivite e a periodontite são diferentes etapas de uma mesma doença inflamatória. Este tipo de doença surge, na sua fase precoce, por maus hábitos alimentares, factores genéticos e, principalmente, má e/ou inexistência de higiene oral. A existência do conjunto de factores anteriormente referidos, provoca um progressivo aumento da flora bacteriana oral, com inflamação da gengiva, surgindo a denominada Gengivite.

gengivas

A ausência de técnicas corretas de higiene oral, nomeadamente da remoção da placa bacteriana, permite a mineralização da mesma, originando o tártaro, vulgarmente denominado “pedra”. Este tártaro é fundamental para acelerar e agravar o processo inflamatório.

Para que seja mais fácil identificar esta patologia, seguem a listagem dos sinais clínicos da gengiva, associados há existência de gengivite:

• Cor vermelha

• Aumento, em altura e espessura da gengiva entre os dentes (papilas interdentárias)

• Sangramento

A manutenção e o aumento de todos estes sinais clínicos, significa que há uma evolução da gengivite, até atingir um estado, em que passa a ser chamada de Periodontite.

periodontal

Sendo a periodontite o agravar de uma inflamação, surgem novos sinais clínicos, caracterizados por:

• Destruição do osso em redor dos dentes (osso alveolar);

• Destruição das fibras que unem o dente ao osso (fibras periodontais);

• Aumento da mobilidade, ou mesmo perda, de dentes.

Assim sendo, é importante ter em conta os dois factores seguintes:

– A gengivite pode ser evitada, se houver prevenção, o que implica motivação e educação sobre os cuidados a ter com a cavidade oral.

– Caso a prevenção não seja suficiente, o profissional de saúde oral, deve ser visitado aos primeiros sinais clínicos com o objectivo de erradicar os factores etiológicos, associados à inflamação.

Seja qual for a altura em que se intervém a prevenção é imprescindível. Para que tal aconteça é essencial visitar o Higienista Oral/Médico Dentista pelo menos duas vezes por ano para que a prevenção seja feita.

logo-e1423823667116

Crónica escrita por: Dr. Sérgio Mascarenhas (Médico Dentista)