Atualidade

5 de Maio de 2014

Filhos, cansaço, stress? Os truques de uma ‘super-mãe’ ajudam

Arrumam-nos o quarto, fazem-nos o Tupperware para o almoço, ralham connosco quando deixamos a casa de banho cheia de roupa… e são sempre as primeiras a dar-nos um abraço quando precisamos. A verdade é que as mães se esforçam para tornar a vida dos seus filhos o mais ligeira possível, mas muitas acabam por ‘explodir’ com pequenas coisas – resultado do cansaço acumulado ao longo de dias e mais dias a correr de um lado do outro.

Para ajudar a combater o ‘caos familiar’ e viver um Dia da Mãe relaxado, Inês Teotónio Pereira – a jornalista e autora do livro ‘Humor de Mãe’, seis filhos e deputada do CDS – dá alguns conselhos e ‘desmistifica’ preconceitos criados pelas ‘pré-mamãs’.

Para as mulheres trabalhadoras que estão a ponderar iniciar uma família, o grande problema é saber como conciliar o lado profissional com o familiar. E o erro está exactamente aí: Não há dois lados – a mulher é sempre a mesma. Inês Teotónio Pereira dá o seu exemplo: “Sou sempre mãe. Trabalhando ou não. Trabalho enquanto sou mãe e sou mãe enquanto trabalho. Não há conciliação possível porque sou sempre a mesma pessoa. A família entreajuda-se em todas as circunstâncias: pai e mãe, filhos mais velhos e filhos mais novos, todos trabalhamos para que cada dia seja bem passado. Às vezes melhor, outras vezes pior. Mas aprende-se depressa que a perfeição é coisa de santos”.

Outro erro é pensar que tudo continuará mais ou menos igual. As mudanças começam no momento do parto e a maior de todas é o foco da atenção e o nível de importância que se dá a si própria quando comparando com os filhos. A autora de ‘Humor de Mãe’ disse ao SOL que essa mudança alterou tudo: “As minhas prioridades, a minha noção de bem-estar, a minha perspectiva de futuro e, claro, passei a valorizar de outra forma o sono”.

Às mulheres que estão prestes a ser mães pela primeira vez, Inês Teotónio Pereira deixa alguns conselhos:

– Sesta: “A melhor amiga das mães e dos pais é a sesta dos filhos – obriguem-nos a fazê-la”;

– Diversão: “Deixem os miúdos respirar e divirtam-se com ou sem os filhos”;

– Sono: “Aproveitem agora para dormir”.

Para as ‘veteranas’ que não sabem como lidar com os dias mais cansativos e com a azáfama da vida familiar, dá também algumas dicas para aliviar o stress acumulado:

– Boa forma: “Fazer ginástica, dormir bem e comer muitos legumes – é preciso uma excelente preparação física”;

– ‘Auxiliar de paciência’: “Contar até dez antes de perder cabeça”;

– Escape: “Fugir para a casa de banho sempre que a pressão aumenta e só sair depois de contar até dez”.

Tal como o título do seu mais recente livro sugere, o humor é outro trunfo essencial, que deve ser usado no dia-a-dia: “O humor ajuda a relativizar aquilo que é relativo, ficando a sobrar muito poucas coisas verdadeiramente sérias”, garante.

Para as mulheres que acham que depois de serem mães nunca terão uma vida igual ou parecida com a que tinham antes de começarem uma família, Inês Teotónio Pereira garante que existem duas alturas em que isso é possível: “Quando os filhos estão a dormir ou na escola”.

Fonte: Sol