Espaço Família | Como Cresceram

Saúde

24 de Novembro de 2014

Febre

A febre é um sinal que muita assusta os pais e o motivo mais frequente de recurso às urgências. Constitui um aumento da temperatura corporal em resposta a vários fatores, podendo ter múltiplas causas, sendo a infeciosa a mais frequente.

Uma confusão que frequentemente existe é o valor a partir do qual consideramos febre e o local onde a devemos medir. Até aos 2 anos a temperatura rectal é a temperatura real, portanto é aí que deve ser medida.

Consideramos febre:

         – Temperatura rectal igual ou superior a 38ºC

         – Temperatura timpânica (ouvido) igual ou superior a 37.5ºC

         – Temperatura axilar (debaixo do braço) igual ou superior a 37.2ºC

As causas podem ser múltiplas, desde as mais inocentes às mais graves

Infeciosa (viral ou bacteriana)

         – Calor excessivo (demasiada roupa)

         – Exercício físico extremo

         – Psicológicas

         – Oncológicas

febre

Como devemos tratar a febre?

– Não agasalhar a criança; Preferencialmente dispa-a.

– Dê um banho com água a temperatura ligeiramente inferior do habitual (2 ºC abaixo da temperatura corporal), assim a criança vai arrefecendo lentamente (é um erro comum dar-se banho com água fria ou quase fria! Não o deve fazer!).

– Reforce a ingestão de líquidos (o aumento da temperatura corporal provoca perda hídrica, podendo levar à desidratação). Não insista para comer. Não deve dar lacticínios no pico febril.

– Dê Paracetamol (Ben-u-ron) de 8h/8h ou se necessário de 6h/6h na dose correta (ajustada ao peso).

– Ibuprofeno (Brufen) de 8h/8h na dose correta (ajustada ao peso). Pode ser alternado com paracetamol (Ben-u-ron), por indicação médica. Não se deve administrar Brufen antes dos 5 meses, salvo se por indicação do médico assistente que conhece a criança.

Quando deve recorrer ao médico assistente?

         – Criança com menos de 3 meses

         – Febre com mais de 48h, sem tendência para melhorar

         – Febre acima dos 40ºC ou que não baixa com a medicação

         – Manchas na pele

         – Gemido

         – Dor de cabeça intensa

         – Vómitos repetidos

         – Prostração intensa (recusa em comer, recusa em brincar)

Quais as complicações da febre?

         – Desidratação

         – Alterações neurológicas, como desorientação, delírio, alucinações.

         – Convulsão febril (esta é uma situação de emergência, devendo levar a criança de imediato ao hospital, para prevenir futuras sequelas).

Dra. Paula Vara Luiz

Pediatra | O Blog da Tia Paula 

É Diretora clínica da Clínica Paula Vara Luiz, serviços médicos, situada na Travessa do Forno 7-B 2050-114 Aveiras de Cima. É Médica especialista em pediatriaTrabalhou na Maternidade Alfredo da Costa, no Hospital de Santa Maria, Hospital de Santa Marta, Hospital de Dona Estefânia, Hospital da Horta (Açores), no Hospital de Vila Franca de Xira e Centro Hospitalar do Oeste (Torres Vedras). Anteriormente foi responsável pela Rubrica de Pediatria, semanalmente, da Rádio Lezíria, em Vila Franca de Xira. É autora de artigos para a Revista ÚNICA do Jornal Expresso. Atualmente exerce só medicina privada. Possui um vasto curriculum, com vários prémios nacionais e internacionais, assim como distinções. Encontra-se já com uma longa carreira, o que lhe permite uma grande experiência na prática clínica aliada ao seu “senso clínico”, tornando-a uma pediatra de excelência nos nossos dias.