Atualidade

7 de Outubro de 2013

Fazer a sesta ajuda as crianças a aprender melhor

sesta

Fazer uma sesta durante a tarde ajuda as crianças em idade pré-escolar a aprender, melhorando as suas capacidades ao nível da memória. A conclusão é de uma nova investigação desenvolvida pela Universidade de Massachusetts Amherst, nos EUA, que constatou que os mais jovens desempenhavam com maior sucesso uma tarefa de sequência visual e espacial após a sesta e no dia seguinte do que aqueles que não dormiam durante o dia.

Para chegar a estes resultados e comprovar que a sesta é “essencial para a consolidação da memória e a aprendizagem nos primeiros tempos de vida”, a psicóloga norte-americana Rebecca Spencer e as estudantes Kasey Duclos e Laura Kurdziel estudaram 40 crianças em idade pré-escolar.

“O nosso estudo mostra que as sestas ajudam as crianças a lembrarem-se melhor daquilo que aprendem no jardim de infância”, revela Spencer, cuja investigação foi publicada este mês na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences. “Somos as primeiras a reportar cientificamente que a sesta é importante em idade pré-escolar”, afirma em comunicado.

As investigadoras ensinaram a 40 crianças de jardins de infância do Massachusetts uma tarefa de sequência visual e espacial semelhante durante as manhãs, uma espécie de jogo de memória no âmbito da qual cada uma delas observava uma grelha de imagens e tinha de lembrar-se em que posição estava cada imagem.

Spencer e as colegas efetuaram, depois, dois testes. Num primeiro teste, todos os meninos e meninas que participaram no estudo foram submetidos a esta tarefa após terem feito a sesta no jardim de infância durante cerca de 77 minutos.

No segundo, todos foram também convidados a realizar o teste de memória mas sem fazer a sesta, mantendo-se acordados ao longo de todo o dia. Nos dias seguintes aos dois testes, as cientistas repetiram a experiência para perceber de que forma ter ou não feito a sesta no dia anterior influenciava o desempenho.

Crianças devem ser encorajadas a fazer a sesta

As especialistas norte-americanas constataram que as crianças esqueceram significativamente mais imagens no teste de memória quando não tinham feito a sesta (conseguindo apenas 65% de respostas corretas), ao passo que as que dormiram durante a tarde alcançaram um total de 75% correspondências entre imagem e local. Além disso, após a sesta, as crianças lembravam-se de 10% mais posições no teste do que se tivessem ficado acordadas.

“As crianças obtiveram um desempenho significativamente melhor quando fizeram a sesta durante a tarde e voltaram a fazê-la no dia a seguir. Tal significa que, se falhar uma sesta, uma criança não consegue recuperar os benefícios da mesma com uma noite de sono normal. Parece existir um benefício adicional quando a criança dorme pouco tempo depois de ter aprendido algo novo”, explica Spencer.

As investigadoras “recrutaram” ainda outras 14 crianças para participarem num teste num laboratório de sono e para a realização de polissonografias (um registo das mudanças biofisiológicas durante o sono) durante a sesta, observando uma associação entre a densidade do sono, relacionada com a integração de novas informações no cérebro, e os benefícios ao nível da memória durante a sesta.

“Até ao momento, não havia ciência concreta que apoiasse os professores que acreditam que as crianças beneficiam da sesta. Agora, esperamos que estes resultados ajudem todos os responsáveis a tomar decisões conscientes quando a prática da sesta no jardim de infância”, salienta a coordenadora do estudo.

“As crianças não só devem ter a oportunidade de dormir a sesta, mas sim ser mesmo encorajadas a fazê-lo num ambiente que incentive essa prática”, conclui Spencer.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

 

Fonte: Boas Notícias