Mães e Pais na 1ª Pessoa

Filipa Oliveira 

Mini Feijão

experiência com as fraldas reutilizáveis

“Uma leitora deste blog colocou‐me uma série de questões sobre fraldas reutilizáveis num post anterior e pediu‐me se criava um post sobre isso. Então vamos lá por partes a responder o melhor que sei às questões que me colocou.

1. de noite, como já disse algumas vezes aqui no blog, utilizo dodot e não das reutilizáveis, porque a C faz demasiado xixi e dorme demasiadas horas seguidas para uma reutilizável aguentar sem lhe molhar a roupa. E mesmo a coitada da dodot chega de manhã com um peso impressionante, mas nunca tive uma fuga. Portanto cá em casa utilizamos 1 fralda descartável por dia (ou neste caso por noite), o que quer dizer que um pacote dá para 78 dias =) Já tentei utilizar Blueberry Minky de noite (porque não tenho nenhuma Wonderoos que dizem que são boas para de noite), mas mesmo assim a fralda estava mesmo a um nadinha de fazer uma fuga e foi numa noite em que ela dormiu menos. Portanto não repeti a experiência. São 12h ou mais de sono e é  demasiado. Mas confesso que não desisti ainda e continuo à procura da fralda reutilizável que resista ao dilúvio que ela faz durante a noite.

2. tenho várias marcas de fraldas. Blueberry deluxe, Blueberry minky, Swaddlebees, Fuzzi Bunz, Bumgenius, Totsbots, Bitti d’lish (tutto) e 1 Whamies. Tenho algumas Piriuki que foram oferecidas as sou sincera: detesto‐as e só as utilizo quando não tenho mais nem uma fralda disponível. Cada fralda cada muda de roupa. E não consigo explicar porquê, mas sai sempre xixi, mesmo com absorventes diferentes. Por isso para mim Piriuki estão postas de lado. As minhas preferidas, sem margem para dúvidas são (por esta ordem): Blueberry deluxe, Swaddlebees, Blueberry minky, Fuzzi Bunz, Totsbots, Bumgenius e Bitti Tutto. As Bitti ficam meias pequenas à C, tem a ver com o tipo de corpo dela, por isso não gosto muito. E não gosto muito do sistema dos absorventes porque não é uma fralda de bolso como as outras. Prefiro fraldas com bolso onde se colocam os absorventes sinceramente. Para nós é um sistema que funciona bem. Das tudo em um tenho as Tots Bots que também não são nada más. Bem mas isto tudo por uma questão de absorção. As Blueberry, no caso da C, são as mais eficazes, tal como as Swaddlebees, mas tem a ver com o tipo de bebé e a minha faz mesmo muito xixi.

3. Ao princípio também fiz o erro de comprar umas fraldas a mais do que outras por serem giras mas conforme comecei a utilizar depressa me deixei disso, percebi que deveria ter percebido antes quais se adequavam mais a ela. Implementei uma alteração cá em casa porque a conta da electricidade e da água estava a aumentar e não me apetecia. Passei a lavar fraldas de 2 em 2 dias e não dia sim dia não como fazia antes. O que quer dizer que agora sim utilizo quase sempre as fraldas todas que tenho. Não sei quantas são, sou sincera nunca as contei. Mas são mais de 30.

4. Nunca precisei de aumentar a absorção com mais de 2 absorventes, prefiro trocar‐lhe a fralda com mais frequência, mas nunca posso deixar passar mais de 3h senão tenho disparate. Mas tem mesmo a ver com o tipo de bebé. De qualquer forma há uns meses comprei 5 absorventes de cânhamo no site Babykind.co.uk (onde também comprei já algumas fraldas Blueberry e Fuzzi Bunz), para colocar numa Blueberry Minky que lhe estraguei sem querer o absorvente. São bastante bons e custaram £4 cada um.

5. A maior parte das minhas fraldas são da Ecologicalkids, mas já comprei algumas no babykind.co.uk ou no fill‐your‐pants. Mas existem muito mais sites, mas não notei grande variação de preços em relação a estes dois ingleses.

6. O site da ecologicalkids tem uma parte de FAQ muito boa, que foi por onde comecei a pesquisar quando achei que estas fraldas poderiam ser uma opção para nós. Estava na altura grávida de 25 semanas quando comecei a pesquisar sobre o assunto. Ela gasta cerca de 7 fraldas por dia, por isso lavo sempre cerca de 21 fraldas ao fim de 3 dias de utilização. Tenho ouvido alguns disparates como pessoas que acham que se tem de pôr as fraldas de molho ou lavar à mão. Nada disso. Quando ela faz cocó limito‐me a sacudir para dentro da sanita e a fralda vai para dentro de um balde que tenho no wc (com um saco impermeável que comprei na ecologicalkids ‐ tenho 2 para ir trocando). Comprei o balde no IKEA. Quando era alimentada apenas a leite materno nem precisava de sacudir nada. Metia a fralda dentro do balde e aquilo saía tudo na máquina de lavar roupa. Depois é pegar no saco impermeável e despejar para dentro da máquina e enfiar lá o saco também. Lavo sempre a 40ºC, no programa 1 (que tem pré‐lavagem) ou no 2, conforme, e com Xau Colónia de bebé em pó. Lavo sempre à noite, depois dela se deitar (e de usar a última fralda do dia). Depois de lavado estendo e normalmente no dia seguinte à noite está tudo seco. Quando está mau tempo ou ponho o estendal dentro de casa ou ponho os absorventes na máquina de secar um bocadinho, porque as fraldas em si secam rápido. Mas prefiro sempre estender. Só sequei uma vez até hoje. Outro dos dilemas de quem não utiliza são as saídas de casa. Tenho um saco impermeável pequeno (da ecologicalkids também) e levo dentro da mala de maternidade as fraldas que penso utilizar. Mudo como mudo qualquer fralda e depois limito‐me a pôr a fralda suja dentro do saco. O saco é mesmo à prova de cheiro (quem tem sabe do que falo, mas de qualquer forma tem uma coisinha onde podes colocar qualquer coisa de cheiro). Quando chego a casa é só despejar as fraldas usadas para dentro do balde que tenho no wc. Não custa mesmo nada. Também falam do problema de passearem com uma fralda suja. Ora já me aconteceu ter de a trocar no carro quando ainda utilizava descartáveis (até aos 2 meses dela) e aí sim tive de levar a fralda comigo e garanto que as dodot sim, cheiram mal… A mim não me faz qualquer diferença, desde que a tenha dentro do saco com o fecho “fechado” (desculpem a redundância).

E pronto, ouvi imensas coisas quando resolvemos optar por este sistema. Amigas minhas que têm filhos e que se riam na minha cara a dizer que “depois falamos quando a C nascer”. Pois digo hoje que para mim, para nós, para o nosso estilo de vida, não poderia estar mais satisfeita. A mim não me custa nada, não acho que perco tempo nenhum que poderia aproveitar para outras coisas nem me faz qualquer diferença. Mas isso é para mim. Respeito quem não utiliza nem quer utilizar. Quando me perguntam limito‐me a contar a nossa experiência e em como estamos imensamente satisfeitos. Ela nunca ficou assada e sinto‐a sempre confortável. E não acho nada que fique com o rabo volumoso. Fica mais um bocadinho, mas também não é nada de abismal. Prefiro assim do que toda assada como me ficou nas férias quando tive 1 semana a dodot porque não tínhamos máquina de lavar no hotel e não havia hipótese e tivemos mesmo de utilizar fraldas descartáveis. Valeu‐nos na altura uma corrida à farmácia para tentar resolver o problema enorme que era o rabo vermelho da C. Assim sendo estou muito satisfeita com a escolha que fiz, mas tenho noção que nem toda a gente tem paciência ou sequer pode, porque o investimento inicial (embora continue a achar que  compense no final, especialmente ao nível de conforto), é pesado. Estamos a falar de um mínimo de 24 fraldas (acho que com menos do que isso ninguém se governa), a cerca de 22€ cada fralda. Estão assim 480€ de uma virada e há quem simplesmente não possa. Eu tive sorte porque também apanhei uma série de promoções que ajudaram a comprar as fraldas. Mas eu pensei assim: se cada
pacote de dodot me custava 20€ e traz 78 fraldas, dá-me 1 pacote para cerca de 10 dias. O que significava que precisava de 3 pacotes por mês, logo 60€. Isto significa que em 7 meses e meio tenho o investimento das minhas fraldas reutilizáveis pago. Se juntarmos o pequeno acréscimo na conta da electricidade (noto 5€ a mais na conta, juntando com o banho dela e a lavagem da roupa dela, o que quer dizer que talvez 1,5€ seja das fraldas) e no detergente (o xau custa 9€ e dá para uma carrada de tempo, mais de 2 meses e meio), tenho talvez mais 5€ por mês em cima das fraldas (2€ de electricidade e 3€ de detergente). 5€ por mês vezes 2 anos e meio de utilização, portanto 30 meses, são 150€. A somar aos 480€ de fraldas tenho 630€. Ora isso gastava eu em 10 meses de fraldas descartáveis e não em 2 anos e meio. Se tiver um 2º filho então o investimento está mais do que pago. Mas isto foram as minhas contas, naquilo que me baseei, para além do facto de achar que não me custava nada a tarefa e no que considerei mais confortável para ela. Mas volto a repetir: foram as nossas escolhas. E provámos a todas as nossas amigas descrentes que utilizamos todos os dias e que não desistimos. Até porque não houve nada até hoje que nos levasse a desistir. Rouba‐me apenas uns minutos de sofá à noite, quando todos já estão a descansar e eu estou a dobrar as fraldas, mas apenas isso. E não me custa mesmo nada =)
E pronto, esta é mais ou menos a minha experiência. Mas como disse comecem por ler as FAQ da Ecologicalkids, depois perguntem o resto das dúvidas. Mas há imensas coisas que só mesmo experimentando é que reparamos o que gostamos mais e menos =) “

Actualização aos 29 meses: a C continua a utilizar reutilizáveis em casa, embora na creche dela não as aceitem o que é uma pena [ela anda na creche desde os 18 meses a part-time e desde os 28 a full-time, por isso utilizámos quase integralmente até aos 28 meses]. Usa agora 1 reutilizável apenas por dia, excepto ao fim-de-semana. O que quer dizer que hoje em dia lavo as fraldas apenas 1 vez por semana. Tenho muita pena de não aceitarem na creche, mas como não mudam com a frequência de 2 em 2h necessária para uma bebé do tamanho dela, nem insisti. Tenho algumas amigas que aceitam que os filhos as usem na creche, o que é óptimo.

Mas ao fim destes 2 anos e meio quase posso garantir que não me arrependo e que num próximo filho continuarei a utilizar porque estão todas em óptimo estado. E posso enganar-me, mas acho que aguentariam bem até um 3º filho.

http://minifeijao.blogspot.pt/
Facebook