Agenda

18.05.2015 | FESTA DOS MUSEUS | PROGRAMA GRATUITO NO MUSEU NACIONAL DO ORIENTE | 18 MAIO’15

Museu do Oriente
18 de Maio de 2015

Dia Internacional dos Museus no Museu do Oriente | 18 maio ’15 |segunda-feira | das 10h00 às 18h00 | Gratuito (as actividades requerem inscrição)

Para assinalar o Dia Internacional dos Museus, a 18 de Maio, o Museu do Oriente abre excepcionalmente as suas portas à segunda-feira, com um programa de actividades gratuitas e entrada livre em todas as exposições. Destaca-se a estreia de um raro biombo Namban de seis folhas, recém-adquirido pela Fundação Oriente.

PROGRAMA

10h00 |  Peddypaper “De Lisboa ao Oriente!” | M/8
Este peddypaper levará crianças em busca de sinais da Presença Portuguesa na Ásia, através da exposição com o mesmo nome. Uma nau nos mares do Japão, um brasão num prato de porcelana chinesa… onde estará a próxima pista?

10h30 | Visita-oficina “Era uma vez um Museu | M/4
Esta visita vai falar de colecções: o que são, como se constroem, como se “arrumam” e se mostram. Com início às , a actividade inclui um exercício lúdico de ordenação de uma colecção.

12h00 | Visita orientada | “Colecções Especiais” | M/6
Atravessa as exposições Presença Portuguesa na Ásia e Sombras da Ásia, para abordar, com crianças a partir dos seis anos, algumas noções como raridade, representatividade e valor, e como se relacionam com as peças do Museu.

14h00 |  Visita orientada | “Um espaço para a colecção” | M/16
A tarde inicia-se com a visita orientada ao Edifício Pedro Álvares Cabral, classificado como Património Municipal e onde está instalado, desde 2008, o Museu do Oriente. Para o público adulto (a partir dos 16 anos), a visita vai dar destaque ao processo de reabilitação deste antigo armazém de bacalhau e a sua conversão em espaço museológico.

16h00 |  Visita | “Uma peça, uma história” | Toda a família
A visita percorre as exposições Presença Portuguesa na Ásia e Sombras da Ásia, para encontrar exemplos das muitas viagens que um objecto faz, através da história, de diferentes usos e significados, até chegar ao espaço de partilha e encontro que é o Museu.

Todas as iniciativas são gratuitas, mediante inscrição.

Das 10.00 às 18.00, a entrada nas exposições é livre, estando os visitantes convidados a percorrer as cinco mostras patentes ao público, entre temporárias e permanentes.

É na exposição permanente Presença Portuguesa na Ásia que se encontra a nova peça, em estreia absoluta ao público do Museu do Oriente. Adquirida em Março deste ano num leilão em Lisboa, trata-se de um biombo japonês de seis folhas, datado da primeira metade do século XIX, e assinado Tsuda Dou-sen, aprendiz de Kano Doushou, da Escola Kano.

A maioria dos biombos Namban não possui assinatura nem selos. A presença de ambos neste biombo faz dele uma raridade. A sua gramática decorativa é conhecida no Japão por Namban-jin Ko-eki zu, que se traduz por “cenas de comércio com figuras Namban”. A dominar o centro do biombo, uma interessante e vívida cena festiva, onde se podem ver ocidentais e japoneses a dançar juntos, ao som de shamisen e de outros instrumentos.

Para além da exposição permanente Sombras da Ásia, entre as mostras temporárias contam-se Um dia na Terra (retrospectiva de fotografias de viagem de Gonçalo Cadilhe); The Dance of the Peacock (mais de 250 jóias e objetos de culto da Índia Tribal) e Infinisterra (maquetas, instalação, fotografia e vídeo num olhar contemporâneo sobre a arquitectura do Oriente).

Museu do Oriente, Avenida Brasília | Doca de Alcântara (Norte) | 1350-362 Lisboa | 213 585 200

Uma Sugestão:

UpTo Lisbon Kids

Outros Eventos