Atualidade

21 de Maio de 2014

Envelhecimento da placenta explica parto prematuro

O envelhecimento precoce da placenta resultante do stresse oxidativo pode ser a causa de muitos dos partos prematuros, sugere um estudo publicado no “American Journal of Pathology”. O stresse oxidativo é provocado por toxinas ambientais que fazem parte do dia-a-dia das pessoas e não podem ser evitados. No entanto, refere o “Alert”, existem outros fatores como os hábitos tabágicos e alcoólicos, um elevado índice de massa corporal, má nutrição infeções que podem ser evitados.

No estudo, os investigadores da Universidade do Texas, nos EUA, verificaram que a exposição das membranas fetais ao stresse oxidativo conduz a um rápido envelhecimento do tecido da placenta, o que resulta em parto prematuro. Estudos anteriores sugeriam que a infeção é a principal causa da rutura das membranas, uma situação que é tratada com recurso a antibióticos. Contudo, os investigadores sublinham que esta estratégia não tem tido sucesso na prevenção do parto prematuro.

“Com mais de 15 milhões de gestações em todo o mundo a terminarem em nascimentos prematuros, podemos agora descobrir como utilizar esta informação de forma a adotar estratégias de intervenção capazes de reduzir o risco de parto pré-termo”, concluem os investigadores.

Fonte | Pais&Filhos