Atualidade

4 de Dezembro de 2014

Dubai: Pais da bebé “Gui” doam dinheiro a instituições

Os donativos feitos para ajudar a pequena Margarida, bebé prematura portuguesa que faleceu no Dubai com apenas duas semanas de vida, vão, agora, ser oferecidos pelos pais da menina à Maternidade Alfredo da Costa (MAC) e à XXS – Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro.

O anúncio foi feito pelos progenitores, Gonçalo e Eugénia Queiroz, através de uma mensagem publicada esta segunda-feira no Facebook, onde revelam estar ainda a “pagar várias despesas para poder fazer o cálculo final”, mas ter intenções de destinar o dinheiro angariado para fins solidários.

“O dinheiro que sobrar de Portugal irá ser doado, tanto em material para a MAC, como para a Associação XXS, e o dinheiro que sobrar do Dubai vai ser entregue a uma igreja que nos ajudou quando mais precisavam”, escreveram os pais de Gui na página criada naquela rede social com o objetivo de alertar para a história da bebé, que soma mais de 136 mil seguidores.

Margarida, filha deste casal de emigrantes portugueses, nasceu prematuramente no dia 28 de Outubro, às 25 semanas de gestação e com 410 gramas, depois de complicações na gravidez.

O caso da bebé ficou conhecido na sequência de um pedido público de ajuda feito pelos pais, que não dispunham de meios para pagar as despesas hospitalares que ascendiam a 1.000 euros por dia, e gerou uma onda imensa de solidariedade em Portugal e no estrangeiro.

“Cada um ajudou no que pôde e como pôde e recebemos mais de 7.500 transferências.  Não conseguimos contabilizar quantas pessoas rezaram por nós e nos deixaram as suas mensagens de apoio”, frisaram os portugueses na sua mais recente mensagem.

“O destino quis que conhecêssemos pessoas maravilhosas, que fizéssemos amizades novas, que se falasse mais de bebés prematuros não só em Portugal mas no mundo”, afirmaram, acrescentando que, apesar da sua curta vida, sabem que a bebé “Margarida mudou o mundo”.

“Ficámos muito sensibilizados por a lei sobre os bebés prematuros no Dubai se alterar a partir de 2016”, congratularam-se, aproveitando “agradecer aos milhares de pessoas que em Portugal e no mundo se sensibilizaram e ajudaram”.

Fonte | Boas Notícias