Mães e Pais na 1ª Pessoa

Mónica Santana Lopes 

A Mulher é que Manda

Depressão, é a doença mais comum entre as pessoas da minha idade

Olá, olá! A Depressão, é a doença mais comum entre as pessoas da minha idade. Pelo menos, olhando à minha volta, são várias as minhas amigas e amigos do meu marido que se encontram agora com uma depressão, mais ou menos profunda. São pessoas fortes e inteligentes mas que tiveram azares na vida muito dificeís de digerir e foram-se abaixo. Estes casos específicos a que me estou a referir, sempre foram referências minhas como sendo pessoas de grande capacidade profissional e intelectual. Nesta fase, mal saiem de casa, sentem-se tristes desde o minuto em que acordam até ao segundo em que adormecem. Contou-me hoje uma amiga, desesperada, por sentir falta de força para os exercícios mais básicos, como levantar-se da cama e tomar um banho, que está desencantada com a vida (se pensarmos bem, é uma frase assustadora).

Resolvi pesquisar muito sobre esta doença, sim é mesmo uma doença, não é síndrome de pessoa mimada como já li uma vez… Segundo o que li em alguns sites credíveis, a depresessão surje quando menos se espera e vai-se instalando aos poucos. Esta minha amiga, só percebeu que estava com uma depressão quando resolveu ir ao médico. Até lá, achava simplesmente que já não valia a pena viver, tudo era mau de mais para ser vivido, sentia-se triste e não sabia porquê. Enfim, um cenário terrível e tenebroso, todo ele concentrado na cabeça desta minha amiga como se de realidade tratásse. O mais complexo ainda é a constante falta de solução matemática para este problema. Não é resolúvel de um dia para o outro, não há um antibiótico contra a depressão e nem sempre os anti-depressivos funcionam como o nome indica… (atenção que sou uma leiga nesta matéria, apenas tentei ler muito sobre o assunto, vi um vídeo que hoje partilho convosco e falei com duas psicólogas clínicas, nada mais). Não é nada difícil encontrar imensos sites científicos que abordam esta matéria e a expressão “doença” é comum a todos eles. Escrevi este artigo com um objectivo único: sensibilizar-vos para alguma amiga ou amigo vosso que esteja neste momento em depressão.

Experimentem pensar no vosso núcleo duro familiar e de amigas/os e procurem saber se alguma dessas pessoas estará deprimida. Isto porque, normalmente, só se dá por isso quando os casos estão já muito avançados (começam a faltar ao emprego, deixam de telefonar, desmarcam constantemente os compromissos, etc, etc) e quanto mais cedo pudermos ajudar, melhor. A principal ajuda, nestes casos, será conseguirem convencer a pessoa deprimida a consultar uma psicóloga. O apoio técnico é essencial para poderem ultrapassar qualquer tipo de depressão.

Vejam este vídeo e acredito que vão poder perceber um pouco melhor a gravidade desta doença.

Blog | A Mulher é que Manda