Atualidade

17 de Abril de 2014

Crise diminui número de divórcios

O número de divórcios em Portugal está a diminuir e a crise é a principal razão apontada, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística. Em 2008, houve 26.110 divórcios, um número que baixou para os 25.362 em 2012.

“Muitos casais retardam o divórcio para poderem fazer frente às dificuldades financeiras. Sem dinheiro, optam por suportar morar debaixo do mesmo teto”, referiu ao “Público” o advogado e docente na Universidade Portucalense José Augusto Silva Lopes.

A socióloga Sofia Aboim, contudo, recusa estabelecer esta relação linear entre crise e divórcios: “Não descarto a hipótese de a crise manter muitas pessoas debaixo do mesmo teto, mas também é admissível a leitura contrária, ou seja, que a crise seja indutora de muitos divórcios, por causa da emigração, da maior conflitualidade relacionada com o dinheiro…”, admitiu ao “Público”.

Os dados do INE mostram, de facto, que o número de divórcios tem vindo a diminuir a cada ano, mas não tanto como os casamentos. “As pessoas não se casam, logo não precisam de se divorciar”, constata Sofia Aboim. Em 2012, houve 34.423 casamentos e 25.362 divórcios, enquanto em 2008 tinha havido 26.110 divórcios para 43.228 casamentos.

Ou seja, em 2008, houve 60,4 divórcios por 100 casamentos, contra 73,7 divórcios por 100 casamentos em 2012.

Fonte: Pais e Filhos