Atualidade

7 de Maio de 2013

Crianças: Frutos secos e chocolate fortalecem ossos

O leite, rico em cálcio, tem sido encarado como sendo muito importante no desenvolvimento de ossos fortes nas crianças. Porém, um novo estudo veio comprovar que alimentos como os frutos secos, o chocolate negro, o salmão e os vegetais folhosos poderão ser ainda mais relevantes dada a presença de magnésio, um nutriente indispensável para uma estrutura óssea sólida, na sua composição.

actualidade

“Há muitos nutrientes que são indispensáveis para que as crianças tenham ossos saudáveis. Um deles parece ser o magnésio”, afirma Steven Abrams, autor principal do estudo apresentado recentemente durante a conferência das Pediatric Academic Societies (PAS).

Embora a importância do magnésio para a saúde dos ossos em adultos já seja conhecida, poucas investigações, até ao momento, se focaram na ligação entre o conteúdo mineral dos ossos nas crianças e a ingestão de magnésio, pelo que o professor do Baylor College of Medicine de Houston, nos EUA, e os seus colegas, procuraram colmatar essa lacuna.

Os investigadores recrutaram 63 crianças saudáveis com idade entre os 4 e os 8 anos que não se encontravam a tomar quaisquer suplementos vitamínicos. Os participantes preencheram “diários alimentares” e, por duas vezes, foram hospitalizados durante a noite para que fosse efetuada a medição dos níveis de cálcio e magnésio.

Ao longo da estadia no hospital, as crianças consumiram a mesma quantidade de cálcio e magnésio que costumavam ingerir em casa e os cientistas recorreram a diversas técnicas para apurar, com precisão, a quantidade diária de cada um dos nutrientes ingerida pelos voluntários.

A equipa de Abrams observou que a quantidade de magnésio ingerida – e absorvida – pelo organismo se revelou um fator fundamental na “força” dos ossos das crianças. Por outro lado, o cálcio não se mostrou significativamente associado ao conteúdo mineral total ou à densidade óssea.

“Acreditamos que é importante para as crianças que exista uma dieta saudável e equilibrada, com boas fontes de minerais, incluindo cálcio e magnésio”, conclui o especialista, salientando, porém, que “é claro que o cálcio é relevante mas, exceto nos casos em que haja níveis muito baixos, não é mais importante que o magnésio”.

Fonte: Boas Notícias