Espaço Família | Somos um Casal

Psicologia

9 de Julho de 2015

Como pode o casal manter a sua intimidade quando há filhos?

sono

Com a chegada dos filhos, o tempo livre diminui radicalmente, ao mesmo tempo que as responsabilidades aumentam sensivelmente. Após um dia de trabalho somado às exigências dos filhos, é comum que tanto a mulher quanto o homem cheguem ao final do dia, quando estarão finamente juntos, exaustos. Assim, fica difícil exigir de um ou do outro uma grande vontade e entusiasmo para as relações sexuais.

Contudo, com um pouco de organização e boa vontade para manter a relação saudável e sexualmente ativa, dá para contornar os problemas. Para isso, deixo algumas dicas simples, mas que poderão fazer toda a diferença.

Aproveitem todos os momentos possíveis e sejam criativos

Numa vida atribulada de casamento, filhos, responsabilidades e tantos problemas, usufruir dos momentos possíveis para o sexo é fundamental. Não dá para esperar sempre a hora perfeita, com tempo e tranquilidade, porque essa oportunidade pode demorar dias a chegar. Assim, aproveitem os momentos em que estão juntos, no banho ou ao acordar. Procurem desfrutar bem dessas oportunidades para manter o interesse sexual entre vocês sempre ativo.

Nada de desleixo

A intimidade traz consigo um relaxamento quanto à aparência física, o que é habitual. Também não é possível exigir que estejam sempre bonitos e perfumados, mas essa negligência pode influenciar negativamente na atração do casal, que se ama e quer viver junto, mas que não perdeu o sentido estético. Tentem evitar que este descuido seja permanente e que ultrapasse certos níveis fundamentais.

Ir para a cama juntos

Às vezes o dia é tão cheio que o único momento em que o casal pode ficar a sós é na hora de dormir. Uma iniciativa que pode ter um resultado duradouro e eficaz é incluir na rotina que vocês se deitem sempre juntos. Assim demonstram um para o outro como valorizam esses momentos, reforçam os laços amorosos e podem aproveitar para finalmente trocarem carinhos. Não se deitem em horários diferentes, isso pode virar um costume e causar um afastamento cada vez maior.

Conversem sobre sexo

Em qualquer tipo de relacionamento amoroso, falar sobre sexo é essencial e no casamento com filhos não deve ser diferente. Deixar as questões às claras, as expectativas, os desejos e as dúvidas. A falta de comunicação entre ambos dá origem a especulações, decepções, ciúmes e conclusões precipitadas. Se há alguma coisa que incomoda relativamente ao sexo, respirem fundo e conversem sobre ela. Assim, a resolução de um problema será muito mais fácil, e essa atitude simples poderá encerrar um problema que talvez nem era tão grave quando parecia.

Bilhetinhos apaixonados

Uma solução simples, e que pode até parecer lamechas, mas que funciona e muito bem: coloquem recados apaixonados pela casa, dentro do carro ou no espelho da casa de banho. É uma surpresa agradável e que faz com que a pessoa se sinta lembrada. Para ser ainda mais excitante, escrevam bilhetes sensuais e escondam no bolso das calças ou na carteira.

Saiam juntos

Não é porque agora são uma família que precisam deixar de fazer o que sempre gostaram. Se antes dos filhos tinham o hábito de saírem juntos para jantar, dançar ou passear, mesmo que as hipóteses sejam raras, não deixem de aproveitar. Assim vão-se lembrar do quão o outro é divertido e atraente. Nada de confinar a vida social à casa. Vale a pena pedirem ajuda a um parente ou amigo para ficar com as crianças, para que vocês possam aproveitar para passear a dois ou irem passar um fim-de-semana fora.

Importa salientar que todos os casais passam por mudanças na vida com a chegada dos filhos. Todavia, a qualidade da sua vida sexual não precisa mudar. Estas são apenas seis dicas sobre como poderão manter a vossa vida sexual ativa, mesmo com filhos. Há muitas maneiras mais para manter a chama do desejo, intimidade e paixão, dentro e fora do quarto, assim como para que terem uma vida sexual mais agitada. Dêem asas à imaginação e lembre-se: os casais que não têm uma boa vida sexual raramente têm um bom casamento.

Marta Cuntim | Psicóloga Clínica

logo oficina da psicologia horizontal