Mães e Pais na 1ª Pessoa

Rita Mendes 

Barriga Mendinha

Coisas que todas devemos saber sobre a menstruação

Epá… hoje sim, o tema é mesmo de “gaja”… mas que “gajo” também pode ler, porque se nós deviamos saber mais sobre nós mesmas…então eles, nem nos passa a ignorância (e até desinteresse) sobre este sistema e épocas do sistema reprodutor feminino…E como hoje estou “num daqueles dias”… cheia de dores de rins e de mau humor… pronto, este texto serve como catárse! Pronto… segue a informação:

Durante anos, ouvimos tantas histórias sobre a menstruação e o ciclo menstrual que achámos absurdos, sem fundamento. Mas alguns deles, apesar de não parecerem, podem  mesmo ser verdade, sim.

A média das mulheres menstruam aproximadamente 400 vezes ao longo da vida, dos 12 ou 13 anos até mais ou menos os 50, quando atingem a menopausa. É natural que existam  muitas histórias inventadas, mas algumas até têm um funo mais ciêntifico que ao longo dos tempos foi “romanceado”.

Ora cá estão os Mitos, ou… verdades que parecem mitos… sobre a nossa “história”. Muito útil, meninas!

94d93bac077bb17221b7ea987f03286a.jpg

1. Mulheres que moram ou trabalham juntas costumam menstruar ao mesmo tempo.

Aquelas que passam muito tempo juntas têm realmente a tendência de sincronizar os seus ciclos menstruais. Por mais que busquem respostas, os especialistas ainda não sabem explicar exatamente por que isso ocorre.

2. A mulher menstruada deve evitar pisar descalça no chão frio.

Embora a menstruação não a impeça de ter uma vida absolutamente normal, nesse período acontece uma baixa na resistência imunológica do organismo, propiciando as constipações. Além disso, o contato prolongado dos pés com o frio poderá ainda causar as cólicas.

3. A menstruação favorece o aparecimento de borbulhas.

A variação hormonal típica do período costuma estimular o surgimento de acne em mulheres com pele oleosa, é verdade. Um tratamento combinado entre o dermatologista e o ginecologista pode amenizar o problema.

4. Mulheres que menstruam tarde demoram mais a entrar na menopausa.

Essa regra, porém, não se aplica no caso das fumadoras: segundo pesquisas, as que tiveram contato com nicotina durante anos a fio podem entrar na menopausa mais cedo do que as não fumadoras, independentemente da idade da primeira menstruação.

5. Quem toma anticoncepcional pode sangrar quando está no período fértil.

Pode sim, no entanto, esse sangramento, é de caráter transitório. Caso demore mais do que um dia e ocorra com frequência, é bom consultar um ginecologista. E mesmo mulheres que não tomam pílulas podem apresentar um pequeno sangramento durante a ovulação. Só que não é menstruação. O intervalo é de no mínimo 22 dias, a partir do primeiro dia da última menstruação.

6. Absorventes internos ( tampões) podem levar à Síndrome do Choque Tóxico.

Embora mulheres que não usem absorventes internos também possam apresentar o problema, a incidência da Síndrome do Choque Tóxico (SCT) é maior entre as que utilizam esses produtos. A SCT é uma infecção rara, mas bastante séria, que pode ser fatal. O agente é a bactéria Staphylococcus aureus, que encontra nos tampões um ambiente propício para liberar toxinas nocivas. A dica é dar preferência a produtos de menor absorção, trocá- los a cada oito horas e suspender o uso caso esteja realizando algum tratamento (para corrimento, por exemplo), já que eles inibem a cura da infecção. Se durante a menstruação a mulher tiver febre alta, diarréia, dor de cabeça, vômitos, desmaios, dores musculares e ardor na pele, deve remover o absorvente e procurar um médico.

6fccb5198d383e375c3eb75b9db8d63e.jpg

7. Para evitar doenças como a endometriose e os incômodos da TPM, é aconselhável tomar medicamentos que bloqueiem a menstruação.

Desde que sob orientação médica, os métodos e remédios que interrompem a menstruação podem ser usados, sem riscos, para evitar cólicas excessivas, Tensão Pré Menstrual (TPM)  de difícil controle, endometriose ou tumores de ovário. É preciso ter cuidado, porém, com os efeitos colaterais, presentes em qualquer medicamento.
8. Atletas normalmente menstruam pouco.
Bailarinas profissionais, corredoras de longa distância, ginastas e outras atletas que treinam várias horas por dia tendem a apresentar o ciclo menstrual irregular (trimestral, semestral ou até mesmo anual). Uma das causas é a deficiência da hormona estrogênio, provocada pela atividade física intensa. Outra razão pela qual as atletas menstruam com menor frequência é que parte das hormonas necessárias para o sangramento mensal se originam na gordura e essas esportistas possuem índices de gordura corporal muito baixos. Segundo a pesquisadora americana Rose Frish, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, o sistema reprodutor feminino sofre prejuízo se o percentual de gordura estiver abaixo dos 17%.
9. Atividade física regular melhora a SPM.
Na quarta semana do ciclo menstrual, os níveis de estrogênio e de progesterona diminuem, fazendo com que o sistema nervoso central reduza a produção de endorfinas – substâncias responsáveis pela sensação de bemestar. Com isso surge ansiedade, cólica, dor de cabeça… Como a ginástica estimula a produção de endorfinas, mulheres ativas sofrem menos com os sintomas da tensão.
10. A menstruação pode causar endometriose.
Em alguns casos. Existe uma teoria que diz que durante a menstruação as células do endométrio passariam através das trompas de Falópio para a cavidade abdominal, onde se instalariam. Os locais mais comuns de implantação são os ovários, trompas e superfície externa do útero. Além de cólica severa, a enfermidade causa desconforto durante o ato sexual, infertilidade e alterações urinárias durante a fase menstrual.
11. As mulheres mudam de comportamento quando ovula.
Quando não se usa contraceptivos e se está afetivamente disponível, existe uma tendência da mulher expor mais a pele, usar roupas justas e adotar um comportamento mais exuberante durante a ovulação.

550e15b5dc2e184c76bb982dcb438686.jpg

12. As mulheres  mais stressadas podem ter mais cólicas menstruais.

A tensão aumenta o nível de prostaglandinas, substâncias hormonais que o endométrio produz na menstruação e que desencadeiam dores e contrações uterinas típicas do período.
13. É impossível engravidar durante a menstruação.
Vale lembrar, porém, que nem todo sangramento é menstruação. Quando estão férteis, algumas mulheres podem ter um pequeno sangramento que dura, no máximo, três dias – e poderão engravidar se transarem sem proteção. Se perceber que o sangramento está ocorrendo no meio de um ciclo-padrão de 22 dias – isto é, por volta do 14o dia, no ápice da fase fértil -, sinal vermelho para relação sexual sem proteção.
14. No período menstrual fica-se mais sujeita a contrair doenças sexualmente transmissíveis.
Quando acontece a descamação do endométrio, a mulher fica menos protegida e mais suscetível às doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) – por isso, o ideal é usar preservativo, sim!
15. Tensão emocional e mudanças de vida ou de ambiente podem adiantar ou atrasar ‘aqueles dias’.
As hormonas que influem  a menstruação são produzidos nos ovários e também na hipófise, glândula ligada ao sistema nervoso central. Como esse sistema reage aos diferentes estados emocionais, a angústia e a tensão decorrentes de doenças, perdas ou mudanças no ambiente influenciam na produção hormonal e podem alterar o ciclo.Fontes: [ Revista Viva Saúde/Diário de Biologia ]

Blog | Barriga Mendinha