Atualidade

31 de Outubro de 2014

Casal português no Dubai pede ajuda para salvar bebé prematuro

Um casal português a viver no Dubai está a pedir ajuda nas redes sociais para saldar a dívida que contraiu num hospital local para pagar o tratamento da filha, que nasceu com 25 semanas de gestação e precisa de cuidados médicos neonatais para sobreviver.

Genny e Gonçalo Queiroz foram para o Dubai à procura de uma “melhor situação profissional”, com “o sonho de uma vida melhor”. Mas a vida trocou-lhes as voltas e agora lutam contra o tempo para salvar a filha recém-nascida e pagar a conta do hospital que a trata.

A menina nasceu com 25 semanas de gestação e a pesar 410 gramas no Mediclinic City Hospital, no Dubai. Por pouco a mãe não morria no parto, com pré-eclampsia, mas entretanto já deixou os cuidados intensivos. O seguro de saúde que possuem não cobre este tipo de despesas hospitalares. Todas estas complicações foram engordando a dívida da família ao hospital, num país onde as dívidas são levadas muito a sério e podem levar quem não as paga à prisão. Para ajudar estes emigrantes portugueses, diversos amigos criaram uma página no Facebook que, em 24 horas, já contava com mais de 8 mil “gostos”. O espaço online está em constante crescimento (conta agora com 17 mil “gostos”) e é por lá que o pai Gonçalo vai comunicando com quem quer ajudar.” Eu estou de pés e mãos atadas, só peço a quem me puder ajudar com algum dinheiro para nós pagarmos as contas todas… Ajudem-me! Eu não sei o que fazer!”, diz, numa publicação recente. A página tem originado uma onda de solidariedade online, com diversos utilizadores a enviarem emails a autoridades, embaixadas e pessoas influentes (e abastadas) da região, com o intuito de saldar as dívidas da família rapidamente.Gonçalo Queiroz já agradeceu o apoio recebido, especialmente por parte da comunidade portuguesa no Dubai. Ainda não revelou a quantia dos donativos angariados até ao momento, mas já garantiu que, se receber financiamento externo, o dinheiro angariado será doado. “Se, por sorte, um Sheik/Emirati se disponibilizar a pagar, eu irei arranjar forma de que os vossos donativos sejam uma ajuda também para quem precisa ou associação… ou eu mesmo farei algo para proteger as pessoas do Dubai de uma situação desumana como esta”, garante.

Fonte | JN