Atualidade

4 de Outubro de 2013

Câmaras “amigas” das famílias

As famílias que vivem no distrito de Lisboa e no centro do país são as que recebem mais ajudas das autarquias, revela um inquérito do Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis (OAFR) destinado a avaliar as ajudas prestadas em áreas distintas como o apoio à maternidade e paternidade, a educação, cultura e lazer.

Family playing on sofa together

“Hoje, mais do que nunca, as políticas de apoio à família, são essenciais”, lembrou Margarida Neto, membro do Observatório, para salientar que “nos dias difíceis que estamos a viver e que vão agravar-se, as redes familiares amortecem as consequências do desemprego, da perda de habitação, do empobrecimento”.

O OAFR vai distinguir este ano 35 municípios com o título de “Autarquia + Familiarmente Responsável 2012”. No centro, as câmaras municipais premiadas foram Coimbra, Cantanhede, Lousã, Mealhada, Fundão, Guarda, Seia, Miranda do Corvo, Estarreja, Águeda e Vila de Rei, enquanto no distrito de Lisboa foram selecionadas as autarquias de Cascais, Amadora, Lisboa, Loures, Oeiras, Montijo, Sintra, Vila Franca de Xira e Torres Vedras. As câmaras municipais de Santarém, Torres Novas e Abrantes também vão receber o galardão, bem como os cinco municípios nortenhos de Boticas, Vieira do Minho, Póvoa de Lanhoso, Vila Nova de Foz Côa e Vila Real, que tem sido apontada nos últimos anos como “câmara modelo” no que toca a políticas de ajuda às famílias. No Alentejo, apenas Évora e Mértola se destacaram e, no Algarve, Faro e Vila Real de Santo António.

As ajudas às famílias com necessidades especiais, os serviços básicos prestados, a educação e formação foram alguns dos itens avaliados pela comissão do Observatório, que analisou também as questões relativas à habitação e urbanismo, os transportes, a saúde, a cultura e o desporto. O lazer e tempo livre, a cooperação, as relações institucionais e as boas práticas para com os funcionários autárquicos em matéria de conciliação entre trabalho e família estiveram também entre os aspetos avaliados no inquérito.

 

Fonte: Pais & Filhos