Atualidade

25 de Fevereiro de 2014

Cadela ajuda doente com paralisia nas tarefas domésticas

article-2526410-1A33569200000578-66_634x533

Helen Bree tem paralisia cerebral, esclerose múltipla e uma cadela que, mais do que uma companheira, é a prova viva de que o cão é o melhor amigo do homem. Amber é uma labradora que ajuda a dona em todo o tipo de tarefas domésticas, como fazer a cama, atender o telefone e pôr a roupa a lavar.

article-2526410-1A3356EE00000578-925_634x401
A história desta ‘cadela-maravilha’ que transformou a vida de Helen está a espalhar-se pela Internet e a impressionar os cibernautas com as suas habilidades caninas. Depois de nascer com paralisia cerebral, a britânica, hoje com 58 anos, foi diagnosticada com um tipo de esclerose múltipla progressivo que, às tantas, a obrigou a deixar o emprego onde estava há quase 30 anos.
article-2526410-1A3356CA00000578-307_634x657
Há apenas dois anos, a independência e autonomia que precisava para continuar a viver sozinha, na sua própria casa ficaram seriamente em risco, com Helen a entrar em depressão e a perspetivar um futuro cada vez mais sombrio. Até que, um dia, Helen encontrou Amber, a labradora que viria a tornar-se a sua mais fiel amiga, todos os dias, de manhã à noite.

“Se eu lhe pedir, ela vai à casa de banho buscar a minha camisa de dormir e ajuda-me a subir para a cama, pondo o focinho debaixo das minhas pernas”, conta Helen, citada pelo Daily Mail. “Se quiser também sabe tapar-me com o edredão. Além disso, traz-me sempre o telefone quando ele toca e traz-me a roupa suja para eu a pôr na máquina”.
article-2526410-1A33572100000578-588_634x721
É assim há já um ano, desde que uma insituição de caridade – a Canine Partners – viu em Amber uma grande ajuda para o caso de Helen e a contactou. “Na altura, acontecia vezes sem conta eu cair, aleijar-me e não ser capaz de me levantar. Mesmo coisas simples como calças umas meias, fechar portas e ir às compras demoravam muito tempo”, conta a mulher.

“Era tanta a dor e cansaço que comecei a sentir-me extremamente deprimida, ao ponto de de chorar sempre ao final do dia”, acrescenta. Em 2011, um dia, quando estava a ver um programa de televisão onde apresentavam o trabalho da Canine Partners, ganhou uma nova esperança.

A mesma tem por missão ajudar os mais desabilitados a conseguir uma maior independência através de cães especialmente treinados que os podem assistir nas mais variadas tarefas. “Candidatei-me e poucos meses depois fui chamada ao centro e apresentaram-me a Amber”, conta Helen, para quem esperar pela confirmação de que a labradora era a nova nova companheira de casa foi como “uma criança à espera do seu dia de anos”.

Juntas desde finais de 2012, as duas são inseparáveis e Helen já não se imagina a viver sem Amber. Para além da ajuda no dia-a-dia e do apoio nas tarefas domésticas, “é gentil, meiga, intuitiva, trabalhadora e sem dúvida a melhor coisa que me aconteceu na vida. Adoro-a do fundo do coração”, garante.

article-2526410-1A33575C00000578-2_634x449

 

Fonte: Boas Notícias