Espaço Família | Como Cresceram

Psicologia

6 de Março de 2015

“Birras aos 5 ou aos 25?” – porque podemos ajudá-los a crescer

oficina_de_psicologia

E se lhe dissermos que quando suporta uma birra do seu filho aos 5 anos pode estar a evitar-lhe um birra aos 25?

E pode pensar: “Uma birra aos 25?!”

Sim. É mesmo isso! Uma birra aos 25, ou aos 32, ou aos 47 ou aos 76.

Porque as birras assumem várias formas. E essas formas mudam com a idade.

Esse fenómeno tantas vezes descrito como ‘irritante’, ‘desesperante’, que enche pais de vergonha e lhes dá vontade de fugir, não é só uma catástrofe no meio do supermercado ou duas horas de choro antes de adormecer ou uma luta interminável para comer cinco ervilhas.

Essas birras não são mais nem menos do que momentos em que, em sequência de um acontecimento desorganizador, as emoções se misturam de tal maneira que a única forma de desatar aquele nó gigante parece ser pedir ajuda. E pedir ajuda quando somos pequenos pode ser gritar e chorar, ou depois quando somos mais crescidos, chamar ininterruptamente a atenção de todos os que estão à nossa volta sem que precisemos de nos explicar.

E sabemos que esses tais momentos desorganizadores acontecem ao longo da vida inteira. Não acontecem só quando somos pequenos. Podem acontecer ao longo do percurso académico, na altura da entrada para o mercado de trabalho, numa fase mais atribulada de uma relação amorosa, ou até com a chegada do primeiro ou do segundo filho.

Então, quanto mais cedo pudermos aprender a desatar o tal nó de sentimentos estranhos, mais e mais fácil se tornará a gestão de momentos difíceis ao longo da vida.

Afinal as birras têm a sua função?

Parece que sim. Parece que fazem parte do desenvolvimento, parece que são excelentes oportunidades (quando bem aproveitadas) para crescer.

Um texto sobre pais e birras e crianças onde se fala tão pouco de crianças?

Talvez. Porque às vezes é preciso mudar a perspectiva.

Hora de mudar de perspectiva, então! Experimente olhar para estes momentos como oportunidades de ajudar os mais pequenos a crescer. “Birras aos 5 ou aos 25?” – porque podemos ajudá-los a crescer

2 Mindkiddo –Oficina de Psicologia, Lda | Rua Pinheiro Chagas, nº 48, 4º andar, 1050-179 Lisboa www.oficinadepsicologia.com | contacto@oficinadepsicologia.com | 926 68 41 62

Seja assertivo mas compreensivo. Mostre à criança que está presente e que é seguro o suficiente para ajudar a desatar o tal nó.

logo

Inês Carvalho

Psicóloga Clínica da equipa infanto-juvenil da Mindkiddo – Oficina de Psicologia