Espaço Família | O nosso 1º Filho

Saúde

12 de Janeiro de 2015

Atrésia duodenal

Hoje fomos notícia na TVI. A Gracinda foi a bebé mais pequena do mundo a ser operada por laparoscopia para correcção de uma atrésia duodenal. Como explica o Prof. Jorge Correia-Pinto (Director do nosso serviço), o duodeno faz a passagem do estômago para o intestino. Na atrésia duodenal, esta passagem está interrompida, devido a uma anomalia do desenvolvimento desta espécie de tubo de ligação que pode estar associado ou não a alterações do pâncreas. Estes acidentes do desenvolvimento embrionário dão-se muito cedo na vida intra-uterino (6-10 semanas de gestação) e podem ser detectados nas ecografias pré-natais.

[fonte: ohiofetalmedicine.org]
Quando nascem, os bebés com atrésia duodenal não conseguem passar o leite do estômago para o intestino, pelo que vomitam tudo. O raio X abdominal apresenta uma imagem muito característica de ‘dupla bolha’, que é suficiente para fazer o diagnóstico nas primeiras horas de vida. A bolha à esquerda (direita de quem olha) corresponde ao ar engolido dentro do estômago, enquanto a bolha à direita corresponde ao duodeno dilatado pelo ar que não consegue passar para o intestino.

[fonte: surgical-tutor.org.ok]
A correcção da atrésia duodenal consiste em fazer uma passagem do duodeno dilatado (proximal) para o duodeno que está logo a seguir à zona interrompida (duodeno distal). A duodeno-duodenostomia (assim se chama à técnica cirurgica utilizada) tem sido realizada por via aberta, isto é, com uma incisão transversa em  toda a extensão do abdómen do bebé. Muito recentemente, começou-se a fazer a mesma cirurgia por laparoscopia, isto é, utilizando apenas 3 ‘furinhos’ menores que 5mm. Para além da vantagem estética, a laparoscopia é menos dolorosa para o bebé e permite uma recuperação mais rápida do trânsito intestinal e das outras funções fisiológicas do organismo.

Não se esqueçam de ver a notícia. É um prazer ver a evolução tão favorável desta nossa princesinha…

Blog | E os Filhos dos Outros