Mães e Pais na 1ª Pessoa

Inês Simões 

Eu, Mãe

AS MARAVILHAS DA MATERNIDADE | EM MODO FILHO ÚNICO

Por estes dias o Miguel está a passar uns dias de férias com os avós de Coimbra. Eles deliram com o netinho andante, a minha mãe tem um descanso merecido ao ombro lesionado e nós continuamos na correria do costume.O Miguel em casa dos avós está como se fosse para os Açores. Não só porque eu sinto como se um pedaço de oceano se tivesse metido entre nós mas porque… Ele entra em fuso horário Açores, tudo na rotina dele é atrasado pelo menos uma hora. Se ele se passar da cabeça, os avós estão avisados, e não dizemos mais nada.

Por conta disso, na rotina do fim de tarde estamos em modo filho único, um descanso! Nem sei o que fazer aos braços. A casa está um brinco, as gavetas a salvo, os brinquedos no sítio e eu com saudadinhas. Eles dão-nos cabo dos braços e do juízo mas preenchem o coração!

Isto de passar de um para dois filhos é mesmo um outro nível. Quem tem apenas um filho tem montes de trabalho, mas quem tem dois, tem montanhas! Nem imagino três! Dizem que o embate maior é passar de um para dois, que três já é mais um prato na mesa e vale tudo. Seja como for, eu não quero tirar a prova dos nove…

Um grande amigo meu está grávido de gémeos. Ele devia ter sido um dos primeiros do grupo a ter filhos, não dos últimos. O pessoal ficou suuuuuuuuper contente, todos lançámos ao ar palavras de incentivo e força, e que giro, que máximo!!!! Enfim, foi quase impossível disfarçar o filme de terror que passou pelos olhos de cada um de nós ao saber que ele ia ter dois bebés de uma só vez. Dois rapazes de uma só vez. Os dois a chorar ao mesmo tempo, a mamar ao mesmo tempo, a chorar ao mesmo tempo. Ou então à vez, uma vez um, outra vez outro. O que será pior? Seja como for, é uma visão do apocalipse. Dois em fases diferentes sempre são desafios diferentes, se um está com cólicas, o outro ao menos já come sozinho. Dois da mesma idade são desafios ao quadrado. Coragem!

Entretanto, farta deste cabelo, deste inverno, desta chuva molha tolos, muni-me de extreme fierceness e disse “Corte, corte!!” E a minha nova cabeleireira do coração cortou, cortou e deixou-me com um long bob extactamente como eu queria. Fiquei tão contente! Ir ao corte a sério é sempre uma tremideira, porque nunca se sabe o que pode sair e geralmente dá asneira. Not today! Fiquei super contente.

Assim que saí do cabeleireiro, toda ondulante e fresca, saí do modo Cinderela num instante: “O Pedro está com febre, quando é que pode vir cá buscá-lo?” **Plim**

Blog | Eu, Mãe