Espaço Família | Vem aí um irmão

Nutrição

22 de Fevereiro de 2016

Alterações gastro-intestinais comuns na fase de introdução de novos alimentos

Introducao-de-alimentos-solidosNa etapa de introdução de novos alimentos, há que ter em atenção que a parte gastro-intestinal do bebé vai sofrer alterações, de forma a adaptar-se. Até então o bebé alimentava-se de leite materno e portanto um alimento sólido vai implicar um trabalho mais complexo por parte do organismo da criança.

O que pode acontecer quando introduzimos alimentos sólidos?

A etapa ideal de introdução de sólidos está planeada para os 6 meses, precisamente porque nesta altura o bebé tem uma maturidade maior intestinal e digestiva, imunitária e desenvolvimento motor que possibilitam avançar com esta etapa tão importante na vida do bebé. Muitas alterações estão implícitas a esta fase de mudança e a maioria delas vão se manifestar inevitavelmente a nível intestinal e gástrico, tais como:

  • Obstipação:
    Muito comum acontecer dado que o sistema digestivo ainda está a perceber como digerir os novos alimentos e processá-los, o que pode demorar algum tempo e atrasar o trânsito intestinal . Este processo é complexo e por isso, é conveniente, caso o bebé apresente este sintoma, optar por alimentos mais laxantes

DICA: inclua na dieta do bebé alimentos como: manga, papaia, ameixa, abacate, pêra, alperce, batata-doce, courgete.

Deve incluir também o seu leite nas papas (que o permitam) pois o leite materno tem propriedades laxantes.

EVITE: Arroz, pão, maçã, cenoura.

  • Diarreia:
    Esta reacção pode ter inúmeras causas (viroses, alergias alimentares…) por isso deve sempre procurar observação de um profissional de saúde para ajudar a identificar a causa.

DICA: No caso do bebé ter diarreia procure investigar se foi coincidente com introdução de um novo alimento e assim fica a saber que provavelmente o bebé não reage bem com o mesmo. Pode incluir na dieta alimentos como: arroz, quinoa, maçã, banana.

SUGESTÃO: A toma de probióticos nesta situação é fundamental para restabelecer as bactérias boas do intestino do bebé.Encontra em gotas, pó ou cápsulas.

 

  • Cólicas:

As cólicas e gases são também frequentes nesta fase e até com maior incidência, dado que durante o processo de alimentação entra sempre algum ar para o aparelho digestivo. Por outro lado, os alimentos que ficam no intestino grosso vão se decompondo com ajuda das bactérias boas, as quais ao degradarem os alimentos vão libertando substâncias nada cheirosas…

DICA: Não tenha medo de utilizar leguminosas, na altura em que o bebé já as pode comer, pois estas estão cheias de fibra e nutrientes óptimos para o organismo. Os gases são normais, só serão um problema se o bebé sentir muito descoforto.

Veja aqui mais dicas para alívio das cólicas do bebé:

http://www.bebesaudavel.com/2016/01/18/colicas-do-bebe/

 

  • Vómitos:

Pode acontecer principalmente quando o bebé toca com a colher ou o alimento na parte posterior do palato (céu da boca), sendo uma reacção normal que não faz com que conteúdo gástrico chege a sair.

Contudo, se o bebé tiver mesmo um vómito (ou mais) há que perceber a origem do mesmo para actuar (intolerância alimentar/virose…).

TOME NOTA: Por vezes, os bebés puxam o vómito quando não gostam de algum sabor mas não podemos considerar vómito.

SUGESTÃO: Adicionar um alimento mais doce para que a papa/sopa seja mais agradável (nas sopas: batata-doce, cenoura; nas papas: banana, leite materno…) e com consistência da preferência da criança (alguns bebés preferem consistência mole outros granulosa… experimente!).

 

Sinais de intolerância/alergia alimentar:

– Diarreia (fezes muito moles/líquidas frequentes ao longo do dia)

–  Distensão abdominal (inchaço abdominal associado a cólicas e gases)

– Fezes com muco ou sangue

– Borbulhas na pele

– Falta de ar

 

*Um artigo exclusivo Barrigas de Amor®

Foto|.Macetesdemae.com

image

 

 

 

Enf. Carmen Ferreira  

Picture1

 

 

 

 

 

 

Uma sugestão barrigas de amor logo