Espaço Família | O nosso 1º Filho

Psicologia Clinica

11 de Janeiro de 2016

Adeus chupeta!

Frequentemente, ouvimos pais a comentar que os filhos não largam a chupeta, ou a dizerem “tão feio, a usar chucha com esta idade”.

 

Colored baby pacifiers hanging outside in line

Colored baby pacifiers hanging outside in line

É normal que as crianças usem chucha, faz parte do desenvolvimento e é até mesmo benéfico: faz-lhes companhia quando se sentem mais sozinhas e confortam-nas quando estão mais tristes. Mais tarde ou mais cedo, a criança vai deixar de querer a chucha. Os pais muitas vezes demonstram uma grande ansiedade face a esta situação. Pais, não fiquem demasiado preocupados com a idade certa para deixar a chupeta, irá ocorrer naturalmente. A verdade é que não existe uma idade certa e concreta para este grande passo. Algumas crianças deixam aos 2/3 anos, outras aos 4/5 anos, ou seja, cada caso é um caso. O importante é que a criança se sinta motivada e não obrigada a deixar a chucha. Então tirar a chupeta de repente, de um dia para o outro, não é uma boa ideia? Nem por isso… Imagine que lhe tiravam uma coisa à qual está muito afeiçoado. Como se sentiria? De certeza que triste e desamparado.

Irá surgir um momento em que a criança começa a ver que os amigos, da mesma idade e mais velhos, já não usam chucha e irá associá-la a “uma coisa de bebé”. Quando surgir esta ideia, aproveite para falar com o seu filho sobre os momentos em que pode guardar a chupeta, como por exemplo, durante o dia e utilizá-la apenas à noite.

Então e o que mais se pode fazer para que a criança largue a sua amiga chupeta?

  • Evite comentários negativos ou críticos como “que feio usar chucha”;
  • Pode guardar a chucha num sítio onde a criança saiba sempre onde ela está;
  • Organizar a despedida: que tal recorrer à Fada das Chuchas? Guarde todas as chupetas numa caixa para que “a fada as leve para outras crianças que precisam mais delas”; podem oferece-la aos peixinhos, colocar numa árvore das chuchas ou oferecer a um elemento mais novo da família;
  • Faça uma tabela de registo: utilize autocolantes (podem ser estrelinhas ou outros desenhos que a criança prefira), para registar os momentos de sucesso, ou seja, os dias em que a criança não precisou da chucha;
  • Elogie sempre que a criança passou o dia sem chucha (“estás tão crescido/a”, “estou muito orgulhoso/a de ti”;
  • Seja consistente: se o seu filho estiver mais agitado ou a fazer uma birra, mantenha-se firme e encontre outras formas de o acalmar);
  • Na hora de dormir, troque a chucha por um peluche, por exemplo.

Lembre-se que esta transição é um trabalho de equipa, onde os pais ajudam os filhos.

*artigo exclusivo para Barrigas de Amor®

Catarina Rosário

Psicóloga Clínica

Oficina de Psicologia – Equipa Mindkiddo

Logo