Espaço Família | Vem aí um irmão

Blogosfera

7 de Março de 2014

A verdade sobre ter um terceiro filho

Shannon Meyerkort é escritora, blogger e mãe de três raparigas com menos de sete anos.  O seu amor pela escrita não é simples, porque implica que esteja sentada a fazê-lo. Quando não está a deixar os filhos na escola ou a fazer sandes de Vegemite, pode encontrá-la a escrever à mesa da cozinha. Siga o seu blogue Relentless ou encontre-a no Facebook.

a-verdade-sobre-o-terceiro-filho

Quando se tem o primeiro filho, você torna-se o centro do universo. Nunca teve um bebé antes, e este é o evento mais importante na história do mundo.

Será capaz de descansar e fazer uma sesta todos os dias. Anda por aí feita uma maternal, com a mão junto à barriga, à espera, à espera de um pontapé repentino. Sente-se calma e sorri muito. Adora  náuseas e vómitos, porque sabe que isso significa que o seu bebé está a crescer. Come alimentos orgânicos frescos, abstem-se de álcool, e toma todas as vitaminas. Nunca quer que isto acabe. Está sobrecarregado com informações e conselhos. As pessoas sentem-se forçadas a contar as suas histórias do dia-a-dia. O seu obstetra fala realmente consigo. Vai a chás de bebé e brinca a jogos onde alguém esborracha um Ferrero Rocher numa fralda e pretende que seja coco de bebé. E você acha que é um bocadinho nojento.

As pessoas disponibilizam-se para ajudar, para fazer compras, para dar-lhe roupas velhas que tenham para o seu bebé. As pessoas estão felizes por si.

Querem tocar na sua barriga. Toda as pessoas perguntam se é o seu primeiro filho e quando lhes diz que sim, devolvem-lhe um grande sorriso. Dizem-lhe que vai ser a melhor coisa que já aconteceu consigo. Acredite neles.

Leu livros como “O que esperar quando se está à espera de bebé”, assinou revistas parentais e inscreveu-se em fóruns de bebés online. Passa meses a decorar o berçário, certificando-se de que está tudo coordenado. Passa horas a pesquisar à cerca do Síndrome de Morte Súbita e desenvolvimentos, compra todos os equipamentos de segurança mais recentes, andarilhos, capas e seguranças. Coloca fichas especiais em todas as tomadas de energia, e coloca todos os medicamentos num armário trancado, acessível apenas com uma combinação de seis dígitos.

Cuidadosamente corta as etiquetas das roupas do seu bebé, para que não arranhe, lava tudo duas vezes num programa suave, com detergentes amigos da criança super-macios, extra-sensíveis, amigos do ambiente, e orgânicos. Vai fazer votos para que nunca dê ao seu bebé uma chucha, para que não chuche no dedo, vai amamentar quando ele lhe pedir, vai dar-lhe a volta todas as noites na cama para que não fique com a cabeça achatada. Não verá televisão até ter 8 anos, e mesmo aí, só programas educacionais. Nunca terá um jogo de computador, nunca usará um telefone móvel, nunca irá ter qualquer tipo de piercings, e nunca irá permitir que tretas comerciais como a Dora ou a Disney entrem em sua casa.

O seu filho vai ser um vencedor do Prémio Nobel.

a-verdade-sobre-o-terceiro-filho_I

Quando tem o seu segundo filho, a criança é o centro do universo. Já se esqueceu de todas as coisas sobre ‘bebé’, e só pode refletir sobre a sua gravidez à noite, quando a criança está a dormir. É incapaz de dormir durante o dia, porque a criança acaba de acordar da sua sesta. Parece que está grávida de seis meses pelo tempo que bateu no segundo trimestre. Sente-se perseguido e grita muito. Adora náuseas e vómitos , porque isso significa que consegue cinco minutos para si mesmo que seja na casa-de-banho. Come as sobras das suas crianças, tenta abster-se de álcool, e lembra-se de tomar as suas vitaminas nalgum momento a meio do trimestre. Parece que nunca mais acaba.

Está farto de tanta informação e aconselhamento. As pessoas sentem-se forçadas a contar as suas histórias de vida sobre crianças que ficam de castigo no armário. Esquece-se de estar presente em metade dos seus compromissos de obstetrícia. Recebe alguns cartões de amigos e familiares no correio, mas nenhum é sobre festas.

As pessoas que acabaram de dar a luz, começam a chateá-la com toda a conversa da treta sobre bebés. Querendo ou não. As pessoas estão ligeiramente interessadas em si. Dizem-lhe o quão grande você está e como os seus tornozelos inchados estão. Todas as pessoas lhe perguntam se é o seu primeiro filho e quando lhes diz “não”, olham desapontados e afastam-se.

Arraste o livro “O que esperar…” da prateleira e deixe-o na casa de banho para aqueles dois minutos por dia que tem só para si. Comece a ler as suas revistas de pais e fóruns on-line sobre conselhos sobre os irmãos e faça a transição de forma fácil para o seu bebé. Sem problema tire o seu bebé para fora do berço e diga-lhe que já é uma ‘menina grande’ para começar a ter uma cama. Deite fora alguns brinquedos partidos, volte a lavar os lençóis de berço, compre alguns adesivos novos de parede e uma caixa de fraldas para recém-nascidos. Deixou de ser bebé. Tem vindo a ver todos os andarilhos, slingues, e seguranças de seu primeiro bebé, a maioria deles ainda na caixa, e vai considerar usá-los desta vez. O seu filho tirou todas as placas de segurança das tomadas de energia e ainda está vivo, portanto não os substitua. Os medicamentos estão debaixo do lavatório com um cadeado à prova de criança. Os medicamentos estão ao lado do vinho e bebidas espirituosas em cima do frigorífico, de fácil acesso para os mais altos.

Volte a lavar as roupas velhas do bebé com os seus detergentes normais, deitando fora os que parecem totalmente desgastados. Compre um novo pacote de chupetas e deixe-as perto do berço. Certamente vai precisar deles . Só vão ver televisão TV quando você está realmente cansado, realmente mal-humorado ou tentando fazer o jantar. Você considera Netflix para ser um investimento em sua sanidade. Você vai tentar esperar até que eles são três , antes de começar um jogo de computador. Eles nunca receberá nenhuma piercings. Dora e da Disney brinquedos são uma parte aceita da vida.

O seu filho vai concluir o ensino secundário.

Esquece-se de todos os seus planos de gravidez e apenas deseja ter o seu próprio tempo no hospital, que vê como um descanso em relação ao caos que reina em casa. Deixe as velas perfumadas em casa, e em vez disso traga o seu computador, já que pensa estar no Facebook durante todo o tempo que estiver no hospital. Tem pijamas novos, mas apenas porque os antigos já não lhe servem há mais de 2 anos. Não se importa como o bebé vai sair, mas preocupa-se se será capaz de dar de mamar de forma tão apaixonada como da última vez e, pelo sim pelo não, compra uma bomba e umas garrafas. E pó de leite para bebé.

Quando se tem um terceiro filho, tem-se ao mesmo tempo uma pré-escolar e um bebé, ambos querendo ser o centro do universo. Em alta voz.  Nem se apercebe de que está grávida até se dar conta de que ter engordado 9 quilos em 4 semanas não é apenas devido ao chá da manhã com as amigas. Parece um morto-vivo e aprendeu a dormir a sesta com os olhos abertos quando deveria estar a ver as aulas de ballet ou de natação. Parece estar de 24 semanas quando sai do seu quarto. Só pára de gritar quando está a dormir, e quando está a dormir, está a ressonar.

Traz consigo sacos do Target para que possa vomitar e deitá-los fora, junto com as fraldas sujas. A sua refeição principal é o chá do pequeno almoço e come snacks o resto do dia. Se os seus filhos não comem saladas ou vegetais, porque é que há-de comer? Nem se preocupa em tentar não beber álcool mas como lhe sabe mal bebe meio litro de leite de chocolate todos os dias. Toma uma caixa de vitaminas para a gravidez no dia em que descobre que está grávida, mas não se lembra mais das mesmas para o resto da sua gravidez. É capaz de redefinir o conceito de eternidade com base nos questionários sem fim que o seu mais velho faz sobre se o bebé vai chegar hoje.

Ninguém se preocupa em dar-lhe informação ou conselhos. As pessoas pensam que ou está maluca ou é irresponsável. Toda a gente assume que foi um acidente. As mulheres mais velhas ficam irritadas consigo no Target quando empurra um carro com o bebé aos berros, um miúdo da pré-escolar, 3 cachos de bananas e 4 embalagens de gelados. As pessoas veem-se obrigadas a contar-lhe as suas histórias de horror sobre as crianças do meio que acabam por se tornar em assassinos em série. Ou políticos. Vê o seu obstetra pela primeira vez no dia em que o seu bebe nasce. A família e amigos olham-lhe com carinho, mas não há festas nem cartões de parabéns.

As pessoas que terminaram a baixa parental voltam ao trabalho, perdem peso e parecem glamorosas e bem descansadas. Não sentem nada por si, sem ser pena. Sentem-se enojadas por si. E você sente-se enojada de si. Todos lhe perguntam se é o seu primeiro e quando lhes diz que é o terceiro, riem-se bem alto e simplesmente afastam-se.

Deu os seus livros sobre bebés e já não pode pagar subscrições de revistas. Lê revistas cor-de-rosa na fila das compras na esperança de ser inspirada por outro nome. Quando começa a considerar Maçã de Quarta-feira como nome, apercebe-se que está a bater fundo. Empurre a sua criança para fora do berço, tire-lhes os peluches e desfaça-se deles num fim de semana. Quando, eventualmente, isso se vira contra si, compre outro berço, outra mesa de muda e alguns cadeados para as portas. Começa a discutir com a mais velha sobre quem é a “maior irmã mais velha”, porque sabe que se refere à “melhor” irmã mais velha.

Tira uma embalagem de fraldas por abrir para recém-nascidos da dispensa. A parte de infantário já terminou. Pega em todas as armações para levar o seu bebé ao colo e todos os outros objetos do seu primeiro bebé que ainda estão na caixa, e troca-los por um frigorífico para vinhos. Peça ao seu filho mais velho para fazer os possíveis para não matar o bebé. Não existe nada venenoso por debaixo do lava loiças porque não limpas a casa há um ano. Os medicamentos estão junto ao vinho e outras bebidas, na tua mesa de cabeceira.

Repara nas roupas de bebé antigas e imagina que aquele bebé pode simplesmente andar nu nos primeiros anos de vida. Compre 3 packs de macacões e ponha-os na mala de hospital. Instale uma televisão em cada quarto dos miúdos. Não terão qualquer piercing até terem pelo menos 12 anos de idade. Comprou ações na Dora e na Disney e estas são as únicas razões pela qual pode suportar financeiramente uma terceira criança.

A sua criança irá ao infantário.

Fará uma lista de todos os medicamentos que vai querer quando estiver no hospital e espera ansiosamente por ir para lá, já que pelo menos lá não precisarás de cozinhar. Empacota uma caixa gigante de chocolates e uns headphones. Tem uns pijamas novos, mas simplesmente, porque não pôde fazer máquinas de roupa nos últimos meses.

Este bebé acabará por sair, não interessa como nem quando. Isso nunca foi verdadeiramente importante, de todas formas.

Este bebé fá-la-á entender quanto amor o coração humano é capaz de suportar. Olha para as suas crianças mais velhas com um olhar revitalizado e entende o quão difícil é estar longe deles. Olhará para o seu marido e ficar-lhe-á grata pelos 3 preciosos presentes que ele lhe deu e vai-lhe perdoar por (quase) tudo o resto. A sua vida vai ser um caos cheio de barulho, berros, frustração e amor. Vai ter ainda mais daquelas experiências inolvidáveis, ainda mais daqueles momentos de cortar a respiração.

Fonte: Scary Mommy