Mães e Pais na 1ª Pessoa

Inês Simões 

Eu, Mãe

A melhor parte da maternidade

Nós podemos estar todas (TODAS) umas mais, outras menos, mas todas, encasinadas, descamisadas, cansadas, desarranjadas, falhadas, desnorteadas, desmaquilhadas. Podemos ter imensas dúvidas, certezas efémeras, teorias contraditórias. Eles podem andar um pouco ranhosos, um pouco fanhosos, um pouco despenteados, um pouco desbotados.

Mas pomos os olhos neles e eles são felizes. Os miúdos riem-se livres, soltos e felizes. Mesmo doentes, são felizes no fundo dos olhos, estão alegres. Mesmo contrariados, a chorar de birra, são felizes, passa-lhes rápido. E essa felicidade genuína, quem a proporciona somos nós. Se ainda não os partimos ao meio, alguma coisa está a correr bem, alguma coisa estamos a fazer como deve ser.

A melhor parte da maternidade é eles serem felizes, e isso ressoar todos os dias bem forte, desbaratando todas as camadas mais superficiais.

8ff5a32ee460f47a877b864fb4844491

 

Blog: As Maravilhas da Maternidade